• Carlos Guglielmeli

Novo relatório do projeto sobre o fim do foro privilegiado é aprovado na CCJ do Senado


fim do foro privilegiado

A proposta já havia sido aprovada pela comissão no senado, porém sofreu alterações e por isso precisou dessa nova aprovação.

As novas regras que fizeram o projeto voltar para a CCJ contrariam as manifestações populares, mantendo os privilégios dos chefes de poderes. O Presidente da República e seu vice, os presidentes do Senado e da Câmara, além do presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça) continuam imunes às instâncias inferiores.

A lei que vigora hoje garante o foro privilegiado aos já mencionados, senadores e deputados federais além de ministros, mantendo o STF como única instância que pode investiga-los e julga-los. Enquanto isso, o foro responsável pelos governadores é o STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O novo texto da PEC (Projeto de Emenda Constitucional) faz com que os políticos não chefes de poderes sejam julgados, inclusive por crimes comuns como roubo e corrupção, pelas primeiras instâncias do judiciário.

Agora o projeto de autoria do Senador Álvaro Dias (PV-PR) segue para aprovação no plenário do Senado em duas votações e depois para o plenário da Câmara que também tem que aprova-lo em duas seções.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3