• Carlos Guglielmeli / Foto: Reprodução TV

Mudança do ministro da justiça preocupa defensores da Lava Jato


Em nota emitida neste domingo, 28/05, o Palácio do Planalto comunicou a troca do Ministério da Justiça do Brasil.

“O Presidente da República decidiu, na tarde de hoje, nomear para o Ministro da Justiça e Segurança Pública o professor Torquato Jardim. Ao anunciar o nome do novo ministro, o Presidente Michel Temer agradece o emprenho e o trabalho realizado pelo deputado Osmar Serraglio à gente do ministério, com cuja colaboração tenciona contar a partir de agora em outras atividades em favor do Brasil”.

Torquato Jardim é amigo do presidente a mais de 35 anos, questionou a decisão monocromática da PGR (Procuradoria Geral da República) em denunciar Temer e criticou os termos do acordo de delação estabelecidos por Rodrigo Janot com os executivos da JBS.

Esse posicionamento prévio do novo Ministro preocupa os defensores da Operação Lava Jato e principalmente a oposição, que temem por interferências na Polícia Federal.

O ex-ministro Osmar Serraglio vinha sendo criticado pelos governistas por deixar as operações da PF chegarem perto do presidente e de aliados. Interceptado em gravações telefônicas, o senador afastado, Aécio Naves criticou essa condescendência do ex-ministro em um diálogo com Joesley Batista.

Essa mudança repentina, em um momento de crise onde em que a Polícia Federal ajudou a PGR (Procuradoria Geral da República) a obter elementos para denunciar o próprio presidente Michel Temer soa, conforme os críticos soa, no mínimo, como casuístico.

Em seu discurso, Torquato Jardins que recebeu carta branca de Temer, tentou desmentir os temores da oposição, mas não se comprometeu com a manutenção do comando da PF.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png