• Carlos Guglielmeli / Foto: Reprodução

Denúncia contra Temer chega à Câmara e é lida em plenário


O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Edson Fachin enviou nesta quinta-feira, 29/06, a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, obedecendo o rito legal do processo.

A entrega foi feita pelo diretor geral do STF, Eduardo Silva Toledo na secretaria da Câmara Federal volta das 09 horas da manhã, as 14 horas a denúncia foi lida no plenário e as 16 horas e 05 minutos o presidente Michel Temer foi notificado.

Essa celeridade é uma estratégia do governo para tentar votar a admissibilidade ou não da denúncia antes do recesso parlamentar, que começa no dia 18 próximo. Tudo para que o presidente não fique sofrendo desgastes e perdendo apoio antes da votação. O Palácio do Planalto contabiliza que tem apoio de mais deputados que o necessário para barrar a denúncia.

Em uma queda de braço explícita entre o Procurador Geral da República, e o presidente Temer, Janot além de fatiar as denúncias, enviado apenas a de corrupção passiva, deixando para depois as de obstrução da justiça e participação de organização criminosa, pediu ao STF que antes de mandar o processo para a Câmara, abrisse um prazo de 15 dias para defesas prévias. Não foi atendido, a suprema corte mandou a denúncia direto.

Os advogados do presidente pretendem mandar sua defesa à câmara ainda nessa segunda ou terça-feira, no esforço para que a denúncia seja apreciada em plenário antes do dia 18/06.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png