• Carlos Guglielmeli / Foto: Reprodução

Marco Aurélio de Mello negou pedido de prisão e devolveu mandato de Aécio Neves


Marco Aurélio de Mello negou pedido de prisão e devolveu mandato de Aécio Neves

A um dia do recesso de julho o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio de Mello, decidiu sobre o pedido de prisão feita pelo procurador geral da república, Rodrigo Janot, contra o senador Aécio Neves.

Essa decisão pegou a todos de surpresa, pois já não era mais esperada para antes do fim do recesso e pessoas ligadas a Aécio diziam que ele não estava esperançoso com as possibilidades de resultados.

Além de negar a prisão do tucano, o ministro Marco Aurélio também aceitou a apelação de sua defesa, devolvendo-lhe o mandato de senador.

Segundo o magistrado, o próprio senado teria instrumentos para afastar o senador do mandato e que sua decisão não se trata de rebeldia, mas de preservação do princípio de harmonia e separação dos poderes. Para Mello, o afastamento de Aécio dentro do exercício do mandato causa prejuízos à representação democrática conferida pelo voto popular.

Para negar o pedido de prisão contra o senador, Marco Aurélio diz entender que os delitos, supostamente cometidos por Aécio, não se enquadram entre os inafiançáveis e que como o senador não foi surpreendido cometendo-os, a suprema corte não pode lhe prender.

Constitucionalmente um Senador exercendo seu mandato não pode ser preso, a não ser que pego em delito flagrante.

Além de devolver o mandato a Aécio Neves o ministro do STF mandou suspender as medidas cautelares impostas contra ele como a de apreensão do seu passaporte.

Em nota, Aécio disse que sempre acreditou na justiça brasileira e que seguirá no exercício de seu mandato conferido por mais de 7 milhões de mineiros.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3