• Carlos Guglielmeli / Fotos: Linice Moreira e

Problemas da BR 040 são discutidos na Câmara Federal


Foi realizada nessa quinta-feira, 10/08, uma audiência pública para debater os problemas enfrentados pelas cidades goianas do entorno sul do Distrito Federal com relação a BR 040. A proposição foi feita pelo deputado federal Roberto Balestra (PP-GO).

Estiveram presentes na audiência representantes da Concessionária Via 040, da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre), da PRF (Polícia Rodoviária Federal, dos governos municipais e sociedade civil de Valparaíso, Cidade Ocidental e Luziânia.

Problemas como a iluminação, a ampliação da capacidade de trafego para melhorar a fluidez do trânsito, construção de paradas de ônibus, viadutos, e de passarelas foram levantados.

Para os representantes de Cidade Ocidental e Luziânia, o principal problema mencionado é a iluminação da BR, etapa já vencida por Valparaíso porque o prefeito Pábio Mossoró assumiu provisoriamente essa responsabilidade, até que o contrato de concessão da Via seja corrigido para que a Concessionária Via 040 assuma esse serviço.

Em sua fala, o presidente da Câmara Municipal valparaisense, Alceu Gomes, ressaltou os desperdícios e outros problemas causados pelos engarrafamentos enfrentados pelos moradores do entorno sul. Já o secretário de governo Plácido Cunha levantou a questão das paradas e os recuos dos ônibus, coisas que o prefeito Pábio também assumiria se não fossem os empecilhos jurídicos.

No jogo de empurra, o superintendente da ANTT, Luiz Fernando Castilho, disse em outras palavras que além de mediar os interesses da sociedade e a exploradora da BR ele só pode cobrar o que está no contrato e se posicionou condescendente com os argumentos do Sr. Frederico Moutinho de Souza, representante da Via 040, que justificou sua demora em atender obrigações contratuais, como as passarelas, terceirizando a culpa para as indefinições a respeito das modificações pelas quais a BR pode passar por exemplo, caso o BRT se transforme em realidade.

Quanto a essa justificativa o vereador vice-presidente da Câmara Municipal valparaisense, Ferreira, disse que não podemos mais esperar adendos contratuais que se arrastam por anos e lembrou que Valparaíso já tem duas passarelas metálicas montáveis que a Via 040 pode desmontar e levar para onde ela quiser e quando quiser, basta a empresa querer cumprir suas obrigações. Prático.

No final, os representantes de cada cidade, dos órgãos públicos e da empresa concessionária agendaram uma consulta ao MP na próxima segunda-feira, 14/08. E no TCU (Tribunal de Contas da União) em seguida para ajustar detalhes no contrato de concessão.

De concreto, quase nada diferente, mas conforme a vereadora Maria Neide, "temos que tentar tudo na busca das passarelas, viadutos vias marginais que precisamos" .


Publicidade

1/3
Roleta Russa 2.png
Precisa explicar?