• Carlos Guglielmeli

Raquel Dodge assume PGR e fala no combate à corrupção


Escolhida por Temer em uma lista tríplice oferecida pelos magistrados, Raquel Dodge assumiu nesta segunda-feira, 18/09, o cargo de Procuradora Geral da República o lugar de Rodrigo Janot.

Filha de ex-procurador, Dodge cresceu nomeio, é notória no apego à provas, não a indícios, tem uma personalidade forte e prática, não faz muita política.

Em seu discurso de posse a magistrada disse que o povo brasileiro “não tolera corrupção” e pediu harmonia e independência dos poderes.

A nova procuradora reproduziu uma fala do Papa Francisco para definir a corrupção, "A corrupção não é um ato, mas uma condição, um estado pessoal e social, no qual a pessoa se habitua a viver".

Segundo Raquel Dodge, “será preciso coragem para zelar pelo bem público”, que é atribuição do Ministério Público.

Rodrigo Janot, ex-procurador, não compareceu à cerimônia alegando não ter sido convidado, informação desmentida pela equipe de sua sucessora que apresentou um e-mail enviado com o convite.

O presidente Temer, que protocolarmente teve que assinar o documento de posse da procuradora, esteve presente e em seu discurso, além de dar boas vindas à nova titular da PGR alfinetou Janot dizendo que a entidade perde a capacidade de desempenhar seu verdadeiro papel quando extrapola os limites constitucionais.

Dodge, que fica no cargo por dois anos, já anunciou mudanças na equipe da Lava Jato e terá a difícil missão de lhe dar com a denúncia feita por Janot contra Temer, pois a ela pode voltar para a PGR para que supostos crimes cometidos fora do período em que ocupa a presidência sejam retirados.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3