• Carlos Guglielmeli

Em 2ª instância, juízes decidem aumentar pena de ex-tesoureiro do PT de 10 para 24 anos


O colegiado da oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, decidiu seguir o voto do relator João Pedro Gebran, que na análise da apelação feita pela defesa do ex-tesoureiro do PT, João Vacari Neto, decidiu nessa terça-feira, 07/11, aumentar uma das condenações do petista de dez para 24 anos de prisão.

A condenação inicial proferida pelo juiz Sérgio Moro foi acrescentada em 14 ano por que os desembargadores decidiram mudar o cálculo da pena.

João Pedro Gebran Neto afirmou que Vacari Neto "solicitou, aceitou e recebeu para si e para o Partido dos Trabalhadores valores espúrios" oferecidos pelo grupo Keppel Fels, empresa que tinha contratos com a Petrobras.

No mesmo julgamento, os publicitários ligados ao PT, Mônica Moura e João Santana e o empresário Zwi Skomicki, que fecharam acordo de delação com a Lava Jato, tiveram suas penas mantidas pela turma em oito anos e quatro meses e quinze anos, respectivamente.

Em nota, a defesa de Vaccari, que pleiteava redução de pena, afirmou que vai recorrer da decisão, “O julgamento realizado hoje, pela 8ª Turma do TRF4, mantendo a condenação de 1ª instância, data venia, não observou o que a lei estabelece. Apesar disso, o Sr. Vaccari e sua defesa continuam a confiar na Justiça brasileira”, diz a nota. Segundo eles, “a condenação foi baseada somente na palavra de delatores”.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png