• Carlos Guglielmeli

MPF localiza planilha que destina R$ 700 Mil do departamento de propinas da Odebrecht para reforma d


Segundo o MPF (Ministério Público Federal) a equipe de perícia localizou a planilha nos discos rígidos de computadores entregues pelo delator Emyr Diniz Costa Júnior, ex-engenheiro da construtora Odebrecht.

Este é o primeiro documento que materializa a ligação do “departamento de propinas da empreiteira” com a reforma do Sítio de Atibaia, do qual o ex-presidente Lula é acusado de ser o verdadeiro proprietário.

A planilha menciona quatro repasses intitulados “Aquapolo”, segundo delatores, o nome do projeto de reforma do Sítio de Atibaia.

Entre os dias 16 e 30 de dezembro de 2010, últimos quinze dias do segundo mandato de Lula, foi feito um repasse de R$ 308 Mil, outro de R$ 120 Mil, um terceiro de R$ 197,9 Mil e o último de R$ 2,1 Mil. O então engenheiro responsável pela reforma, Emyr, disse que recebeu o dinheiro no ABC paulista, onde trabalhava e que o mesmo teria sido enviado por Hilberto Silva, chefe do departamento de propinas da Odebrecht.

Além desses novos elementos, o MPF apresentou ao juiz Sérgio Moro pedidos para que Nestor Serveró (ex-diretor da Petrobras), Pedro Barusco (ex-gerente da Petrobras), Márcio Faria (executivo da Odebrecht) e Ricardo Pessoa (dono da UTC) sejam ouvidos novamente para esclarecer dúvidas sobre a participação de Lula na nomeação de Nestor, sobre propinas pagas pelo consórcio Gasam, sobre propinas da Refinaria Abreu e Lima e sobre propinas pagas pelo consórcio TUC, na sequência.

Nesse processo, o ex-presidente Lula é denunciado por, supostamente, ter recebido propinas de contratos da Petrobras no formato de obras no sítio de Atibaia que somam R$ 155 Milhões.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png