• Carlos Guglielmeli

Contrariado com familiares e antigos aliados, Marcelo Odebrecht deixa a prisão


Após dois anos e meio preso, o empresário Marcelo Odebrecht deixou a prisão em Curitiba nesta terça-feira, 19/12.

Segundo interlocutores do empresário, ele sai da prisão com a ideia de que foi injustiçado e traído, para ele, seu pai, Emilio Odebrecht, e outros executivos da construtora que leva seu nome se beneficiaram da sua prisão e faltaram delatores no acordo dos 78 executivos que assinaram o acordo.

Esses interlocutores dizem ainda que Marcelo não aceita que o ex-presidente do seu grupo de empresas, Newton de Souza e seu cunhado, vice-presidente jurídico da Odebrecht, não tenham se juntado aos delatores, que ao delatar tiveram que devolver os “Bônus” que receberam no exterior por negócios fechados com o uso de compra de políticos com propina.

Há informações de que Marcelo Odebrecht tenha se indisposto com a mãe, com a irmã Mônica Bahia e que tanto Souza e Ferro (seu cunhado), ligados ao pai Emílio, estão “na sua alça de mira”.

O empresário deve seguir de jatinho particular de Curitiba para São Paulo, onde segue para a sua casa em um condomínio luxuoso no Morumbi para cumprir mais dois anos de prisão, agora domiciliar, com o uso de tornozeleira eletrônica.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3