• Carlos Guglielmeli

Eleições 2018 – Em Goiás grupo governista de Marconi Perillo se fortalece enquanto oposições batem c


As coligações partidárias para as eleições estaduais só serão definidas em junho, ainda há muita água para passar debaixo da ponte, porém o que cada grupo político fez até aqui já dá sinais do que cada um dos principais concorrentes poderá fazer.

Mesmo que esse ou aquele grupo esteja se afastando ou se aproximando da vitória, são só três que estão verdadeiramente na disputa, o governista conduzido intelectualmente pelo governador Marconi Perillo e materializado na pessoa do vice-governador José Eliton (PSDB) e os oposicionistas de Caiado (DEM) e o dos Vilela (MDB), com a virtual candidatura do filho, Daniel, coordenado pelo pai, Maguito.

Líder nas pesquisas, Ronaldo Caiado (DEM) tem a pré-candidatura mais frágil de todas. Sem capilaridade o senador já atingiu o máximo de sua capacidade, seu número não evolui acima da margem de erro mesmo que ainda haja cerca de 30% de eleitores indecisos no estado, segundo as pesquisas recentes.

Para piorar a vida do democrata, ele não consegue atrair partidos ou personalidades de peso para sua campanha, quando começou a caminhada anunciou vários partidos que hoje estão firmes com o grupo governista e o MDB consolida cada dia mais a sua candidatura própria.

Pelo grupo dos Vilela, a candidatura do filho, Daniel (MDB), é cada dia mais irreversível.Com mais prefeitos e consequentemente mais vereadores e lideranças ao seu lado, o pai, Maguito respondeu com muita propriedade a indagação se seu filho poderia desistir da cabeça de chapa em favor de Caiado.

Todos nós defendemos diálogo com o DEM, agora te pregunto por que o partido maior (MDB vai se aliar ao menor (DEM), sendo que nós temos pré-candidato e uma estrutura muito boa? Vamos procurar a união das oposições e não é só com o DEM, é com todas. Se for possível (união com o Democrata), ótimo, se não for, paciência”, disse Maguito.

Do lado governista, o pré-candidato José Eliton (PSDB) não decolou ainda, mas está regido pelo obstinado Marconi Perillo que já reagrupou toda sua base e no passado provou saber cadenciar o ritmo das candidaturas, ganhando todas que disputou, inclusive a que carregou nas costas um preposto muito inferior a seu vice.

Eliton pode perfeitamente assumir o perfil de renovação com seu estilo técnico, pacifista e produtivo, não tem nenhum deslize no currículo e com a maior capilaridade, cerca de 170 prefeitos de 246 possíveis e vereadores aos milhares, o grupo “marconista” pode virar qualquer jogo.

Resumindo, mesmo que tudo ainda seja volátil, o cenário hoje diz que, Caiado não tem mais nada o que possa fazer, inclusive para impedir um declínio, os Vilela ainda podem percorrer um bom caminho e os “marconistas” têm algo parecido com o céu como limite.


Publicidade

1/3
Bolsonaro_oferece_cloroquina_à_uma_Ema_
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png