• Carlos Guglielmeli

Sindicato lota sessão da Câmara Municipal de Valparaíso para reivindicar aumento acima do índice est


Mesmo sem nenhuma votação expressiva nesta quarta-feira, 21/03, a Câmara Municipal de Valparaíso teve uma sessão com o plenário cheio. As cadeiras estiveram tomadas por sindicalistas e sindicalizados do SINDSEPEM/VAL (Sindicato dos Servidores Públicos e Empresas Públicas Municipais de Valparaíso de Goiás).

O SINDSEPEM que outrora aceitou o não cumprimento da data-base dos servidores públicos municipais, chegando a advogar em nome da prefeitura e contra a categoria, hoje ameaça fazer greve, caso a atual gestão lhes conceda um aumento de “apenas” o que determina a Lei.

A Lei 819 de outubro/2009 fixa o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) como base para os reajustes dos servidores públicos municipais de Valparaíso, e o acumulado dos últimos 12 meses desse indicador (Março/2017 à Fevereiro/2018) é de 1,81%, exatamente o que consta nos Projetos de Lei 063 e 064 enviados pela prefeitura para a Câmara.

No final da sessão o Vereador Professor Silvano (PT), que reconheceu a disposição das Secretárias Rudilene Nobre (Educação) e Rosângela Palácio (Administração e Recursos Humanos) em dialogar sobre o assunto, ameaçou nas entrelinhas de um discurso teoricamente ameno, que se a prefeitura não atender as reivindicações da categoria, ela pode deflagrar uma greve.

Na semana passada o Vereador Zeca (SD) anteviu esse pleito do sindicato, encampado pelo vereador do PT e disse que “as contas da cidade estão em ordem, e os salários em dia, mas por que o governo está tendo a responsabilidade de fazer aquilo que dá conta”.

Além de um aumento acima do que determina a Lei o Sindicato e o vereador Prof. Silvano querem uma revisão no Plano de Carreira, plano de carreira esse, aprovado sob fortes alertas do então vereador Pábio Mossoró a respeito da falta de estudos de impactos financeiros em sua elaboração.

Para o Jornal Opção do Entorno, o presidente da Câmara Legislativa de Valparaíso, vereador Alceu Gomes, argumentou, "Concordo que nossos servidores merecem sempre o máximo reconhecimento, mas desde janeiro do ano passado o governo vem organizando suas finanças, pagou dívidas em atraso com fornecedores, limpou o nome da cidade, respeitou a data-base dos servidores, está pagando os salários em dia, coisa que muitas cidades não estão conseguindo fazer. Tudo porque Valparaíso está tendo a responsabilidade de dar passos conforme suas pernas, por isso penso que esse não é o momento de cometer extravagâncias. Vamos ser responsáveis, cumprir o que está na Lei e mais a frente, quando a situação estiver mais favorável, a gente faz o Algo Mais, que é merecido. É assim que eu penso".

Para serem votados em plenário, os PLs ainda precisam de pareceres favoráveis de comissões como a de Constituição e Justiça e de Finanças. Tudo indica que esse trâmite finalize antes de sexta-feira, 30/03. Até lá o tema ainda será muito debatido dentro e fora da Câmara Municipal.


Publicidade

1/3
Bolsonaro_oferece_cloroquina_à_uma_Ema_
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png