• Carlos Guglielmeli

Vírus H1N1 e H3N2, quais os riscos em Valparaíso?


Circula na internet dois áudios que estão apavorando a população. O primeiro veio de fora, alertando sobre um tal H2N3 que seria uma mutação do H1N1, altamente letal. O outro é municipal, dizendo que na UPA do Marajó teria falecido um homem contaminado por esse vírus, apenas 3 dias depois da sua infecção.

Os dois são falsos.

Primeiro que a nomenclatura do vírus mutante atual é H3N2 e a sua letalidade é semelhante a de todas as Cepas (variações de um vírus original por mutação genética ou adaptação) Influenza. O maior risco continua sendo para crianças com menos de 5 anos, gestantes, idosos e portadores de doenças crônicas

O segundo áudio é igualmente falso porque a “causa morte” do homem que faleceu na UPA foi insuficiência respiratória provocada pela asma e o diabetes tipo 1.

A gripe é uma doença viral infecciosa, altamente contagiosa que tem elevada disseminação durante os 6 meses mais secos do ano, de abril a setembro no Brasil.

Esses mesmos 6 meses também é o tempo médio que os diversos vírus da gripe, incluindo os da linha Influenza (A/H1N1, H3N2 e B), levam para mutar ou se adaptar, por isso as vacinas também precisam se adaptar na mesma periodicidade e acabam tendo o mesmo prazo de eficácia.

Como 6 meses é o tempo de maior circulação dos vírus e de eficácia das vacinas, devido o prazo de mutação das Cepas, em todo o mundo as campanhas de imunização são feitas no início do período de contaminação.

Segundo o infectologista do Instituto Emílio Ribas, Jean Gorinchteyn, “as ações de imunização da sociedade neste caso são exatas, por isso não podem ser antecipadas nem postergadas. Antecipa-las fatalmente prejudicaria o final do período de maior contágio e o inverso seria igualmente prejudicial”.

Em Valparaíso, assim como em todo o estado de Goiás, a campanha de vacinação contra o Influenza A (H1N1 e H3N2) e B foi antecipado de 25 para 13 de abril, mesmo que os índices de incidência da doença estejam em níveis considerados normais.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) calcula que entre 10 e 20% da população mundial é contaminada pelas variações desses vírus todos os anos e desse número mais da metade não apresenta nenhum sintoma diferente de uma gripe comum.

Dentro dessas especificidades, não há epidemia nem surto em Valparaíso, o que pode haver é uma maior incidência de infecções, normal para o período. Esses áudios Fakes e o uso político deles por grupos que se beneficiam com o tumulto, podem causar mais danos à sociedade do que o vírus em questão.

Programação da campanha de vacinação contra o Influenza A (H1N1 e H3N2) e B:

De 13/04 à 20/04 - Idosos acima de 60 anos, trabalhadores da saúde e portadores de

doenças crônicas;

De 23/04 à 27/04 - Gestantes, mulheres de resguardo e crianças de 6 meses à 5 ano;

De 30/04 à 11/05 - Professores;

Dia 12/05 - Dia “D” (Todos os grupos prioritários);

De 14/05 à 01/06 - Todos os grupos prioritários.

Sintomas mais comuns provocadas pelos vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B:

  • Infecção aguda das vias aéreas;

  • Febre acima de 38ºC;

  • Dores musculares;

  • Dores nas articulações;

  • Dor de cabeça;

  • Cansaço;

  • Tosse seca;

  • Vômito

  • Diarreia;

  • Vermelhidão nos olhos;

  • Rouquidão.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png