• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Ministros do STF, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes tiram de Moro delações sobre o S


Com 3 votos a 2, a Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu tirar de Sérgio Moro, juiz da 13ª Vara Criminal Federal do Paraná, os trechos das delações de executivos da construtora Odebrecht, que envolvem o ex-presidente Lula com a propriedade do Sítio de Atibaia e com um terreno destinado ao Instituto que leva seu nome.

Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski consideraram que as informações da Odebrecht sobre o Sítio de Atibaia e o Instituto Lula não têm relação com a Petrobras, portanto não estão relacionadas com a Lava Jato, por isso também não haveria razão para serem direcionadas à Moro que é responsável pela operação.

Os ministros Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF e Celso de Melo entendem diferente, mas foram votos vencidos.

As delações agora vão para a Justiça Federal e o Ministério Público de São Paulo onde poderão ser adicionadas em processos já em andamento, provocar a abertura de novas investigações e até mesmo serem compartilhadas com o próprio juiz Sérgio Moro, se ele fizer o pedido.

Tanto a 13ª Vara Criminal Federal, onde Sérgio Moro é juiz, quanto o Ministério Público do Paraná informaram por suas acessórias de comunicação que não vão comentar a decisão até entender o impacto que ela provoca nos processos.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png