• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Ex-ministro de Temer, Geddel Vieira Lima, vira réu ao lado da mãe e do irmão por caso do apartamento


A Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) recebeu a denúncia por lavagem de dinheiro e associação criminosa contra o ex-ministro de Temer, Geddel Vieira Lima, o irmão dele, deputado federal Lúcio Vieira Lima, ambos do MDB da Bahia; e também a mãe deles, Marluce Vieira Lima.

A família é investigada no caso das malas e caixas de dinheiro vivo encontradas pela Polícia Federal em uma apartamento usado como uma espécie de Bunker usado pelo deputado. Ao todo haviam R$ 51 milhões no imóvel.

Todos os ministros seguiram o voto do relator, Edson Fachin, que aceitou abrir ação penal contra cinco dos seis denunciados.

Além da família Vieira Lima, a Procuradoria-Geral da República denunciou três pessoas: o empreiteiro Luiz Fernando Costa; o empregado doméstico Job Brandão, que tinha um cargo no gabinete de Lúcio Vieira Lima; e o advogado Gustavo Ferraz, que transportou dinheiro para a família do deputado, mas, no entendimento dos ministros, não participou dos crimes.

Para a defesa dos Vieira Lima, as provas são insuficientes e existem erros que deveriam anular o processo. O advogado Gamil Föppel acusou o Ministério Público Federal de usar o site institucional para pressionar o Judiciário.

O advogado também criticou a prisão preventiva de Geddel Vieira Lima. O ex-ministro foi detido no dia 8 de setembro do ano passado, três dias após a polícia localizar o dinheiro.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3