• Carlos Guglielmeli (Patrocinado)

O frio combina com vinho. Sommelier dá dicas para uma boa recepção


O frio dos últimos dias em Goiás sugere um bom vinho. E para aproveitar essa onda, nada melhor que um belo jantar ou um encontro com amigos em casa regado a bons vinhos. Bons, mas não necessariamente caros.

Neste clima, o paladar costuma se ajustar a vinhos mais encorpados. O sommelier, Ricardo Barbosa, da rede de supermercados Bretas explica que um vinho encorpado é sinônimo de teor alcoólico mais elevado, taninos (substâncias naturais relacionadas a estrutura) intensos e boa acidez.

A ingestão destes vinhos não é agressiva, já que são equilibrados em todos os pontos. O consumo de uma maior quantidade de álcool em cada dose promove a sensação de esquentar em algumas partes do corpo”, explica Ricardo. Os tintos são os mais recomendados para esta época do ano, mas quem aprecia os brancos também tem boas opções de rótulos. O sommelier indica o chileno Apaltagua Collection. “Há opção tinto com a uva Carignan e também branco, resultado da mistura de três uvas”. A garrafa sai em média por R$ 89.

Outra opção é o Santa Ema Gran Reserva. Este tem um teor alcoólico de 13,5% e a acidez bem equilibrada. “É um vinho do Vale do Maipo, no Chile, e atende muito bem o paladar do público goiano”, revela ele. A unidade custa em torno de R$ 65. Um rótulo com um bom custo benefício é a linha Cono Sur, da uva Syrah. O preço médio da garrafa é de R$ 57, mas quando em promoção chega a ser vendido abaixo dos R$ 39.

Harmonização

O importante na hora de harmonizar é combinar um vinho e um prato que quando servidos juntos colaborem para ressaltar ainda mais as características um do outro, criando um conjunto sensorial prazeroso.

Sugestões

Para receber os amigos ou até mesmo no encontro a dois a tábua de queijos é uma escolha fácil e prática de se preparar. Para a montagem escolha uns cinco tipos de queijos, que devem ir do mais suave ao mais picante. Não os corte em fatias ou em cubos. Disponibilize pratos, garfos e facas de sobremesa.

Caso a pessoa queira sofisticar, a sugestão é seguir as seguintes proporções na montagem: 15% de queijo de mofo branco (camembert, brie), 15% de queijos de mofo azul (gorgonzola, roquefort), 20% de queijos tipo suiços (gruyére, maasdamer), 25% de queijos suaves (gouda, emeenthal, saint paulin), 15% de queijos de sabor forte (provolone, parmesão) e 10% de queijos cremosos com sabores especiais (rambol nas versões salmon, noix, poivre vert).

Para acompanhar os queijos, as frutas são deliciosos contrastes para a tábua. A maçã vermelha é uma ótima combinação com queijo brie, a maçã verde ressalta o sabor do camembert, já a pêra faz um bom contraponto com o gorgonzola. Uvas também fazem uma excelente parceria. Os pães também podem fazer parte. A dica é reservar uma cesta com pequenas unidades e de diferentes tipos - italiano, alemão, francês, centeio, nozes.

Vale anotar que, quanto mais duro for o queijo servido, parmesão por exemplo, mais tânico (tinto) deve ser o vinho. Quanto mais cremoso for o queijo, mais acidez o vinho deve ter, como alguns vinhos brancos. Vinhos doces como o Porto, ou Sauternnes acompanham bem os queijos azuis, pois ajudam a equilibrar a força destes. Queijos frescos e sem casca, como mascarpone ou mozarela, pedem vinhos brancos leves, rosés ou tintos jovens. Queijos mais suaves, como emmenthal ou gruyére, aceitam vinhos pouco tânicos, mais suaves. Vinhos brancos leves e aromáticos, como um Chardonnay, combinam com queijos frescos de cabra ou ricota.

Fique atento à essas dicas e surpreenda na recepção. Seja ela mais ou menos rica, faça o mais adequado, o melhor.

Conteúdo oferecido pelos Supermercados Bretas, presente em Anápolis, Aparecida de Goiânia, Águas Lindas de Goiás, Caldas Novas, Catalão, Formosa, Goiânia, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Rio Verde e Senador Canedo.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png