• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Ibama suspende venda de pescados nas redes Assaí, Walmart e multa o Carrefour


Ibama suspende venda de pescados nas redes Assaí, Walmart e Carrefour

O Ibama suspendeu na terça-feira (3) a venda de pescados nas redes Assaí e Walmart por comercializarem os alimentos sem comprovação de origem.

Os centros de distribuição das duas bandeiras, mais o Carrefour foram alvos de uma fiscalização. No total o Ibama esteve em 14 empresas que vendem grandes volumes de pescado no estado de São Paulo.

Conforme o que revelou o órgão de fiscalização, as três marcas apresentaram irregularidades e foram multadas juntas em cerca de R$ 2,16 Milhões.

O caso de irregularidade mais fundamentado foi o do Assaí, que tem 130 lojas, uma delas em Valparaíso de Goiás, e é ligado ao Grupo Pão de Açúcar.

O problema constatado é que as Notas Fiscais de compra dos produtos não tinham especificadas o RGP (Registro Geral de Pesca) que indica a origem do alimento. Essa exigência é feita desde 2014, quando foi publicada uma normativa do Ministério da Pesca e Agricultura e o da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Segundo Hugo Américo, analista ambiental, “é isso [o Registro Geral de Pesca] que vai mostrar de onde saiu aquele pescado, abrangendo toda a cadeia, quem beneficia, quem armazena. Sem saber a origem, não dá para saber se esse peixe, camarão ou lagosta é legal ou não”.

Outro lado:

Por meio de nota, as três redes se manifestaram dizendo que estão tomando as medidas necessárias para liberar os produtos.

A Rede Assaí informou que "já reuniu a documentação necessária e a apresentação necessária e a apresentou ao órgão fiscalizador, com o intuito de comprovar as ações desenvolvidas e, desta forma, retomar a comercialização dos produtos", e completou informando que "toda a negociação com produtores de pescados passa por rigorosos critérios contratuais, incluindo a garantia de origem de acordo com a legislação existente para a categoria" e que apresenta "nas notas fiscais de todos os pescados adquiridos o código de rastreamento do produtor, atendendo a determinação dos órgãos reguladores".

O Walmart alegou que "já tomou as medidas necessárias para atender as exigências apontadas pela fiscalização".

O Carrefour explicou que “a comercialização de pescados em suas lojas segue rígidos padrões de qualidade e origem, respeitando a legislação vigente". Disse também que "reforçou junto aos seus fornecedores que o RGP é uma exigência para fornecimento à rede, que não aceitará entregas com inconformidade neste dado".

* Imagem meramente ilustrativa


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3