• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Presidente do TRF-4 põe fim ao vai e vem sobre a soltura de Lula e o petista permanece preso


Após o conflito de decisões divergentes sobre a soltura de Lula ou sua permanência na cadeia, o presidente do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, manteve a prisão do ex-presidente Lula.

A medida foi tomada após um recurso do Ministério Público Federal que questionou a presidência do Tribunal sobre quem tinha a competência sobre o caso, se Rogério Favreto, desembargador de plantão que oportunamente concedeu o Habeas Corpus ou João Pedro Gebran Neto, relator deste processo contra Lula na 8ª Turma do TRF-4.

Em sua decisão Thompson já foi logo desqualificando a argumentação do plantonista, alegando que “rigorosamente a notícia da pré-candidatura eleitoral do paciente é fato público/notório do qual já se tinha notícia por ocasião do julgamento da lide pela 8ª Turma desta Corte. Nesse sentido, bem andou a decisão do Des. Federal Relator João Pedro Gebran Neto”.

Num outro trecho de sua decisão, o presidente invocou o regimento interno do Tribunal para informar que o rito do processo seria encaminhar o pleito para o relator do processo, “nessa equação considerando que a matéria ventilada no Habeas Corpus não desafia a análise em regime de plantão judiciário e presente direito do Des. Federal Relator em valer-se do instituto da avocação para preservar a competência que lhe é própria (Art. 202 do Regimento Interno/TRF-4), determino o retorno dos autos ao gabinete do Des. Federal João Pedro Gebran Neto, bem como a manutenção decisão por ele proferida”.

Diante dessa última reviravolta, o ex-presidente Lula permanece como estava, preso.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3