• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Aos 82 anos, morre o ex-governador de Brasília, Joaquim Roriz


Morreu nesta quinta-feira (27), aos 82 anos, em Brasília, o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz. A informação foi confirmada há pouco pela assessoria de sua filha, Liliane Roriz.

Roriz havia dado entrada no hospital de Brasília na segunda-feira (24) devido a uma pneumonia, vindo a falecer quatro dias depois por volta das 7h50, em consequência de um infarto do miocárdio. A saúde do ex-governador do DF por quatro vezes vinha piorando desde 2017.

O ex-governador nasceu em 4 de agosto de 1936, filho de Lucena Roriz e de Jerzuleta de Aguiar Roriz. Ele deixa viúva Weslian Roriz, com quem teve três filhas: Wesliane, Liliane e Jaqueline, que também são conhecidas no cenário político brasiliense.

Trajetória Política

Nascido em Luziânia (GO), Roriz começou a carreira política em 1962, como vereador de sua cidade natal, situada no entorno de Brasília.

Em 1978 Roriz venceu a eleição para deputado estadual por Goiás com o candidato mais bem votado pelo PMDB, hoje MDB.

Contrariando a rivalidade partidária de hoje, o luzianiense foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) em Luziânia, em 1980. Já no PMDB, foi eleito deputado federal em 1982. Em 1986 venceu a eleição para vice-governador de Goiás, na chapa do governador Henrique Santillo, já falecido.

Roriz chegou pela primeira vez ao governo do DF em 1988, indicado pelo então presidente José Sarney (MDB-AP). O Distrito Federal ainda não elegia seu governador por voto direto. Após quase 18 meses de mandato biônico, foi acusado pelos adversários de ter distribuído lotes para os eleitores, de olho nas eleições diretas que iriam ocorrer em outubro de 1990.

Entre 15 e 29 de março de 1990, Roriz foi ministro da Agricultura e Reforma Agrária no governo Collor, renunciando ao cargo para disputar o governo do DF. Venceu, sendo o primeiro mandatário eleito ao Palácio do Buriti e se manteve no cargo até 1994. Passou apenas um mandato fora. Em 1998, concorreu novamente e voltou a governar o Distrito Federal. Foi reeleito em 2002.

Roriz inaugurou a primeira linha de metrô da capital federal e foi o responsável pela construção da Ponte JK, um dos cartões postais do DF. Durante o quarto mandato como governador, deixou o Buriti para se candidatar ao Senado. Foi eleito, mas renunciou cinco meses depois de assumir o cargo, em julho de 2007, para evitar um processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Casa.

Fonte da Trajetória Política: Agência Brasil


Publicidade

1/3
Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Precisa explicar?