• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Operação da Polícia Federal cumpre mandatos contra agentes políticos de Goiás


Na manhã desta sexta-feira (28) foram cumpridos 5 mandatos de prisão temporária e 14 de busca e apreensão contra pessoas e endereços ligados ao ex-governador de Goiás, Marconi Perillo.

Os mandatos foram expedidos pela 11ª Vara Federal, Seção Judiciária de Goiás, a pedido do Ministério Público, em uma operação conjunta com a Polícia Federal, batizada de Cash Delivery.

A Cash Delivery é um desdobramento de uma fase da Lava Jato, baseada em acordos de delações premiadas e de Leniência da construtora Odebrecht e seus executivos.

Conforme as investigações, Marconi teria recebido R$ 2 Milhões em 2010 e R$ 10 Milhões em 2014 de maneira ilegal, para, em contrapartida, favorecer a construtora com obras no estado.

No âmbito da Lava Jato essa parte das colaborações não evoluiu porque nos próprios depoimentos os delatores foram unanimes em dizer que a empreiteira acabou não foi beneficiada.

A defesa de Marconi Perillo repudiaou o que chamaram de “ato eleitoreiro”, pois segundo eles, não há fato novo na investigação que justifique algo semelhante a apenas 9 dias das eleições.

Os outros alvos da operação foram o ex-presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop), Jayme Eduardo Rincon, o filho dele, Rodrigo Godoi Rincon, o policial militar Márcio Garcia de Moura, o ex-policial militar e advogado Pablo Rogério de Oliveira e o empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3