• Carlos Guglielmeli / Imagens: Reprodução

Quatro mulheres já estão confirmadas na equipe de transição de Bolsonaro. Saiba quem são


Muito criticada no início por não haverem nomes femininos na equipe de transição de governo, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou nos últimos dois dias quatro mulheres para compor o grupo que está colhendo informações do atual governo brasileiro e já esboçando novas medidas.

Veja quem são:

Márcia Amarílio da Cunha Silva - É Coronel do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal especialista em segurança pública e foi o primeiro nome feminino confirmado para fazer parte da equipe e já participa das reuniões realizadas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília.

Clarissa Costalonga e Gandour – É doutoranda em Economia, com ênfase em Desenvolvimento Econômico, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio. É pesquisadora do Climate Policy Initiative (CPI) e do Núcleo de Avaliação de Políticas Climáticas da PUC-Rio (NAPC/PUC-Rio), onde conduz pesquisa na área de microeconomia aplicada, focando em temas de clima e uso da terra.

Liane de Moura Fernandes Costa - Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). É especialista em Construções Sustentáveis e possui Licenciatura em Educação Profissional pelo Instituto Federal de Brasília (IFB). Atuou, por oito anos como Eng. Ambiental da Seção de Meio Ambiente da Diretoria de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente (DPIMA) do Departamento de Engenharia e Construção (DEC) do Exército Brasileiro. Foi Professora Substituta do Curso Técnico em Controle Ambiental no IFB, Campus Samambaia, ministrando aulas nos componentes curriculares de Tratamento de Água, Introdução ao Controle Ambiental e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS focada nos temas: avaliação de impacto ambiental, gestão ambiental, recursos hídricos, gerenciamento de resíduos sólidos, técnicas compensatórias e qualidade do solo.

Sílvia Nobre Waiãpi - É a primeira mulher indígena a entrar para as Forças Armadas do Brasil. Antes de ingressar no serviço militar precisou enfrentar a fome e a maternidade na adolescência. Estudou Artes, é formada em Fisioterapia na Unisuam (Centro Universitário Augusto Motta). Atualmente, Waiãpi faz a terceira especialização ligada à saúde e atua como chefe do Departamento de Medicina Física e Reabilitação em Fisioterapia do Hospital Central do Exército, no Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria de imprensa da equipe de transição, outras mulheres poderão fazer parte do grupo.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png