• Carlos Guglielmeli / Imagens: Reprodução

Em sua diplomação, Bolsonaro fala em desejo de mudança e novas tecnologias que mudaram o modelo elei


O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) realizou nesta segunda-feira (10) a diplomação do presidente eleito Jair Bolsonaro e do Vice, General Hamilton Mourão, ato que permitem aos eleitos a tomar posse.

Bolsonaro demonstrou emoção em dois momentos, na execução do Hino Nacional e quando recebeu das mãos da ministra Presidente do TSE, Rosa Weber, o seu diploma, hora em que chegou a aparar lágrimas.

Em um discurso de cerca de 8 minutos, o presidente foi do agradecimento ao compromisso democrático e constitucional, passando pelo recado do povo que deseja mudança, o rompimento com o modelo vigente a 15 anos, o reconhecimento das demandas populares e do surgimento de um novo modelo eleitoral patrocinado pelas novas tecnologias.

Compromisso com a democracia: "Em um momento de profunda incerteza em várias partes do globo, somos um exemplo de que a mudança pelo voto popular é possível, esse processo é irreversível, nosso compromisso com a soberania do voto popular é inquebrantável.";

Desejo do povo por mudanças: "Senhoras e senhores, os desejos de mudança foram expressos de forma clara nas eleições, a população quer prosperidade e paz, sem abdicar dos valores que caracterizam o povo brasileiro, nossa gente é trabalhadora, constituída por homens e mulheres, por mães e pais, que criam seus filhos com suor e dedicação, tendo todos uma esperança de vida digna, gente que não mede esforços para obter o sustento de seus familiares, gente que precisa de um governo que garanta condições adequadas para desenvolver seu potencial com liberdade e criatividade."

Ruptura com o modelo vigente, aprofundado pelos governos do PT:

"A construção de uma nação mais justa e desenvolvida requer uma ruptura com práticas que historicamente retardaram o nosso progresso; Não mais à corrupção, não mais à violência, não mais às mentiras, não mais a manipulação ideológica, não mais submissão do nosso destino a interesses alheios, não mais mediocridade complacente em detrimento ao nosso desenvolvimento."

Reconhecimento e compromisso com as demandas populares:

"Todos conhecemos a pauta histórica de reivindicações da população brasileira, segurança pública e combate ao crime, igualdade de oportunidade com respeito ao mérito e ao esforço individual, todos sabemos disso, mas ainda não conseguimos oferecer à população o que lhe cabe por dever do estado. Sempre no marco da Constituição Federal nosso dever é transformar esses anseios em realidade. Nossa obrigação é oferecer um estado eficiente, que faça valer os impostos pagos pelo contribuinte."

Reconhecimento do novo modelo eleitoral, possível através do advento da internet:

"Senhoras e senhores, vivenciamos um novo tempo, as eleições de outubro revelaram uma realidade distinta das práticas do passado, o poder popular não precisa mais de intermediação, as novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes. Nesse novo ambiente, a crença na liberdade é a melhor garantia de respeito aos altos ideais que balizam nossa constituição. Diferenças são inerentes a uma sociedade múltipla e complexa como a nossa, mas jamais devemos nos afastar dos ideais que nos unem, o amor à pátria e o compromisso de um presente de paz e de futuro mais próspero."

Bolsonaro assume a Presidência da República no dia primeiro de janeiro próximo e deve se afastar de uma semana a dez dias do comando do país para fazer a cirurgia de reconstituição da colostomia, feita em virtude do atentado a faca que sofreu em setembro.

Na quinta feira o presidente, já diplomado, deve ir ao médico para avaliar a possibilidade de fazer a intervenção no final de janeiro ou início de fevereiro, ele pretende ir ao Fórum Econômico Mundial realizado em Davos entre os dias 22 e 25 do próximo mês.

Assista abaixo o vídeo com o pronunciamento do presidente eleito, Jair Bolsonaro, após sua diplomação:


Publicidade

1/3
Roleta Russa 2.png
Precisa explicar?