• Carlos Guglielmeli / Imagem: reprodução

Professores da rede pública de Goiás relatam situações extremas e acusam o governador Caiado de atra


Com os salários de dezembro atrasados, servidores públicos do Estado de Goiás, principalmente os da educação, estão relatando situações que beiram a catástrofe.

Não tenho mais de quem pegar dinheiro emprestado, meu círculo de amizades é de pessoas que estão na mesma situação que eu, com o salário de dezembro atrasado até hoje” Relatou uma professora, leitora do Jornal Opção do Entorno

Minha energia foi cortada a três dias, na sexta-feira, hoje foi a água. Meu vizinho ligou uma extensão para mim na tomada da casa dele e passou o fio por cima do muro para eu manter uma lâmpada e a geladeira lidada, agora nós vamos ter que tomar banho na casa dele” completou ela.

Em uma outra mensagem recebida pelo Facebook do Jornal, um professor comentou que os servidores estão fazendo grupos no WhatsApp para que, quem tenha algo, divida com quem está sem nada, “semana passada nós juntamos quem tinha condições e compramos caixas de ovos no atacado para distribuir com os colegas”.

Na nossa escola temos uma merendeira que está literalmente sem nada, luz, água, comida, nem sabão para lavar a roupa ela tem” relatou uma professora indignada que completou “eu votei nesse (...) do Caiado Ele disse que ia melhorar, hoje estamos passando pelo pior momento de nossas vidas como servidores do estado. Nem nos meu piores pesadelos imaginei que ele nos faria tão mal assim. E tudo proposital, de caso pensado”.

Eleitores do próprio governador Ronaldo Caiado o estão acusando de estar atrasando os salários propositalmente, para tentar se livrar da sombra de seu antecessor e rival, Marconi Perillo, “ele vendeu uma história para nós, e nós caímos como patinhos, ele disse a coisa estava muito ruim e que ele daria jeito. Nem a coisa está tão ruim assim como ele também não deu jeito em nada, pelo contrário, não consegue fazer o mínimo que os outros faziam”.

O professor Alisson, único que permitiu revelar seu nome, explicou essa teoria dos servidores, “Caiado encontrou um rombo nas contas públicas compatível com a crise econômica do país e isso contraria o que ele falava durante a campanha, que inclusive conquistou meu voto, agora ele está cavando um buraco maior para tentar não sair por mentiroso e, sem pestanejar, está cometendo essa crueldade conosco por pura politicagem".

Caiado deu uma entrevista neste domingo (21) e anunciou o pagamento dos salários de Janeiro a partir desta segunda-feira (22), na tentativa de esfriar os ânimos da categoria que já fala em greve geral. Sobre isso Alisson disse: “pagar janeiro antes de dezembro? Fica claro que é política. E outra coisa, pagar sem o auxílio alimentação para os professores? Estamos com nossas contas de dezembro atrasadas, vamos pagar juros sobre elas, recebendo menos e sem a perspectiva de pagar as de janeiro”.

Caótico. E ele fala como se estivesse nos fazendo um favor”, completou Alisson.

Como não conseguiu aderir ao RRF (Regime de Recuperação Fiscal do Governo Federal), devido à situação do estado não estar suficientemente ruim para isso, o governador Ronaldo Caiado assinou nesta segunda-feira (21)um decreto de Calamidade Financeira do Estado.

Decreto este que ainda deve ser aprovado pela Alego (Assembleia Legislativa do estado de Goiás.

#RonaldoCaiado #Caiado #GovernodeGoiás #CristianeShmidt #SitedeNotíciasdoEntorno #NotíciasdoEntorno #OpçãodoEntorno #EntornoSul #JornalOpçãodoEntorno #ProfessoresdoestadodeGoiás #Saláriosdedezembro #NotíciasdoValparaíso #SitedenotíciasdoValapraíso

Publicidade

1/3
Roleta Russa 2.png
Precisa explicar?