• Carlos Guglielmeli

CCJ aprova a venda de ações da Saneago e Lêda Borges volta a discordar das regras elaboradas pelo go


Em sessão extraordinária, realizada nesta terça-feira (29), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) aprovou o projeto do Governo que autoriza a venda de 49% das ações da Saneago, empresa de saneamento estatal.

Para garantir o resultado, a base aliada do governador Ronaldo Caiado (DEM) na Alego, liderada pelo deputado Bruno Peixoto (MDB), fez valer sua maioria e atropelou todas as tentativas de emendar sua proposta original.

Lêda Bordes (PSDB) apresentou uma propostas de correção do projeto, no qual pretendia estabelecer que a venda chegasse ao máximo de 25% da empresa, segundo ela, "um patamar prudencial para que o estado não corra rosco de perder o controle da empresa", e que todo o valor arrecadado fosse revertido em obras de saneamento, vedando o uso do recurso arrecadado no pagamento de despesas correntes como folha e fornecedores.

Não há um estudo que justifique esses 49%. Além disso, deste total somente 30% será aplicado em saneamento, o que daria R$ 300 milhões. Enquanto isso, são necessários R$ 6 bilhões para universalizar esgoto e R$ 800 milhões para água”, disse a deputada que completou, “Não posso defender um projeto que poderá destruir a Saneago”.

Assista abaixo ao vídeo com dois pronunciamentos da deputada sobre o assunto:


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3