• Carlos Guglielmeli

CCJ aprova a venda de ações da Saneago e Lêda Borges volta a discordar das regras elaboradas pelo go


Em sessão extraordinária, realizada nesta terça-feira (29), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) aprovou o projeto do Governo que autoriza a venda de 49% das ações da Saneago, empresa de saneamento estatal.

Para garantir o resultado, a base aliada do governador Ronaldo Caiado (DEM) na Alego, liderada pelo deputado Bruno Peixoto (MDB), fez valer sua maioria e atropelou todas as tentativas de emendar sua proposta original.

Lêda Bordes (PSDB) apresentou uma propostas de correção do projeto, no qual pretendia estabelecer que a venda chegasse ao máximo de 25% da empresa, segundo ela, "um patamar prudencial para que o estado não corra rosco de perder o controle da empresa", e que todo o valor arrecadado fosse revertido em obras de saneamento, vedando o uso do recurso arrecadado no pagamento de despesas correntes como folha e fornecedores.

Não há um estudo que justifique esses 49%. Além disso, deste total somente 30% será aplicado em saneamento, o que daria R$ 300 milhões. Enquanto isso, são necessários R$ 6 bilhões para universalizar esgoto e R$ 800 milhões para água”, disse a deputada que completou, “Não posso defender um projeto que poderá destruir a Saneago”.

Assista abaixo ao vídeo com dois pronunciamentos da deputada sobre o assunto:


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png