• Carlos Guglielmeli

Dólar fecha com novo recorde na cotação e ministro Paulo Guedes diz que é bom o país ir se acostuman


O dólar comercia fechou em alta de 0,52% nesta segunda-feira (25), cotado a R$ 4,2145, maior valor nominal (sem contar a inflação), desde a estabilização da economia brasileira com a criação do Plano Real.

Dois fatores são apontados como responsáveis por essa desvalorização da moeda brasileira frente a americana, um deles é externa, a guerra comercial ente EUA e China, e a segunda é caseira, apesar do câmbio mais desvalorizado nas últimas semanas, as perspectivas para a conta corrente brasileira nos próximos meses pioraram.

Após a divulgação do déficit nas transações correntes de US$ 7,874 bilhões em outubro, o segundo pior resultado da série histórica para o mês, economistas já apontam possibilidade de uma degradação mais intensa da balança comercial e uma possível piora na relação entre Investimento Direto no País (IDP) e déficit em conta corrente, com alguns analistas apontando, inclusive, a possibilidade de inversão, ou seja, de que o fluxo de IDP não consiga financiar mais o rombo em transações correntes.

De Washington o ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou não estar com o novo recorde na cotação do Dólar perante o Real, e acrescentou que que é bom os brasileiros se acostumarem com o elevado patamar da moeda americana.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png