• Carlos Guglielmeli

Após ser solto por falta de elementos que justificassem sua prisão, vereador de Novo Gama promete ma


Acusado de ter facilitado a fuga de um detento do Centro Prisional de Luziânia, em troca de dinheiro, o vereador Christovam Machado (PSDC), que à época desempenhava a função de agente penitenciário, passou 60 dias foragido da justiça, 12 dias preso e na manhã da terça-feira (03) voltou a exercer seu mandato de vereador, após ser solto por falta de elementos que justificassem a medida.

Christovam vinha se destacando no cenário político de Novo Gama, desempenhando um papel de forte oposição ao governo da prefeita Sônia Chaves, com isso se capitalizou politicamente recebendo a simpatia da população insatisfeita com o governo.

Em sua primeira fala no retorno à Câmara Municipal novogamense, o peessedecista esclareceu elementos do inquérito que o levou ao constrangimento de ser noticiado como foragido e depois preso.

Christovam leu no plenário um depoimento que faz parte da investigação policial, onde as circunstâncias da fuga, da qual é acusado de ter facilitado, foram narradas pelo chefe da equipe de escolta penitenciária de plantão naquele momento, onde seu nome sequer foi mencionado como alguém presente no presídio quando o suposto crime aconteceu.

O parlamentar ainda exibiu uma parte do estrato bancário, já anexado ao processo, que demonstra o uso do seu cartão em uma panificadora perto do presídio onde ele também comprova frequência diária, sempre no mesmo horário, que coincide com o momento da tal fuga.

Ao final de sua fala, Christovam Machado mandou um recado para a prefeita Sônia Chaves quando disse ter adquirido desse episódio uma motivação redobrada para combater o que chamou de “sistema” e a corrupção na cidade.


Publicidade

1/3
Roleta Russa 2.png
Precisa explicar?