• Carlos Guglielmeli

Aliados de Caiado ignoram nulidade processual apontada por Lêda Borges e aprovam projetos que tiram


Em sessões extraordinárias, convocadas pela presidência da Alego (Assembleia Legislativa de Goiás) para esta sexta-feira (20) e sábado (21), a base aliada do governador Ronaldo Caiado (DEM), salvo algumas exceções, aprovou definitivamente três projetos polêmicos, que modificam a carreira dos servidores públicos estaduais de maneira a reduzir ou eliminar direitos.

Durante a reunião da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e no início da discussão em plenário, a deputada Lêda Borges (PSDB) pediu o retorno do processo 20196418, que tratava da Reforma da Previdência Estadual, para seu estágio inicial considerando a não publicação dos pareceres da comissões no Sistema SGPD, meio oficial da assembleia para publicação dos dados processuais.

Segundo a parlamentar, que é moradora de Valparaíso e representa o Entorno na assembleia estadual, a última folha deste processo, publicada no SGPD, está datada de 13 de novembro, ferindo o princípio dos atos processuais, determinados no Art. 190 do regimento interno da Alego.

Tanto o presidente da CCJ, Humberto Aidar (MDB), quanto o da Assembleia, Lissauer Vieira (PSB) procrastinaram com a denúncia, permitindo que a reforma fossa aprovada, assumindo o risco do ajuizamento posterior.

A estratégia do governo foi correr com essas “pautas bombas” para evitar a perca de votos dos governistas, em consequência da pressão popular, que teria mais tempo de discutir os temas.

Entre as modificações mais polêmicas e rejeitadas pelos servidores, incluídas em ambas as propostas, estão a regra de transição do regime previdenciário antigo para o aprovado, a retirada de direitos relacionados ao adicional por tempo de serviço, chamado de “quinquênio” e a licença prêmio.

Para a equipe econômica do governo Caiado, além dos R$ 1,6 bilhão da economia pretendida coma as medidas, elas também fazem parte de um pacote de sinais enviados pelo Estado à União, na busca pela adesão ao RRF (Regime de Responsabilidade Fiscal)


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3