• Carlos Guglielmeli

Fux contraria Toffoli, suspende juiz de garantias por tempo indeterminado e Marco Aurélio chama ato


Fux contraria Toffoli, suspende juiz de garantias por tempo indeterminado e Marco Aurélio chama ato de aberração

Contrariando a determinação anterior do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, o vice-presidente da Suprema Corte, ministro Luiz Fux, decidiu na quarta-feira (22) suspender por tempo indeterminado a implantação do Juiz de Garantias, figura inserida na lei anticrime pelos deputados que o presidente Jair Bolsonaro sancionou.

Em sua decisão Fux apontou “vícios de inconstitucionalidade” na lei, contrariando Toffoli que declarou sua constitucionalidade, por isso a suspensão por tempo limitado destinado apenas a regulamentar da implantação.

Com o olhar exclusivo para a hierarquia da entidade, o ministro Marco Aurélio de Melo classificou o ato de Fux como um “descalabro”:

Isso só leva ao descrédito da instituição, e é muito ruim porque gera insegurança jurídica. Onde já se viu vice-presidente, no exercício da presidência [durante o plantão] cassar ato do presidente? Isso é de um descalabro", criticou Marco Aurélio, que prosseguiu, "por enquanto, ainda não foi eleito presidente [do STF] o ministro Luiz Fux, nem muito menos tomou posse como tal”.

Fux assumiu o plantão do STF após Toffoli sair de férias no dia 19 recente, e fica no comando da Corte até a próxima quarta-feira (29). Sua decisão entende a uma ação da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) contra a implantação do juiz de garantias. O processo chegou à Corte na última segunda-feira, 20, quando as funções do plantão já havia sido transferidas.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

1/3