• Carlos Guglielmeli

Previsão de PIB abaixo do alcançado no período pré-crise expõe fragilidade da atual política econômi


Após quase duas décadas se posicionando entre os estados brasileiros com os maiores crescimentos do PIB (Produto Interno Bruto), Goiás deve fechar o ano de 2020 como o único da região Centro-Oeste com resultado abaixo do período pré-crise (2013 – 2014).

Esse é o resultado de um levantamento feito pela Tendências Consultoria Integrada, publicado nesta terça-feira (11) pelo ESTADÃO.

No acumulado da região, o Centro-Oeste deve alcançar um crescimento de 4% em relação ao PIB do produzido antes da atual crise. Um resultado que poderia ser melhor se Goiás não estivesse destoando de Mato Grosso, com crescimento de 12,6%, Mato Grosso do Sul com 8,8% e o Distrito Federal com 1,3%.

Com retração prevista de 0,6% em relação ao PIB alcançado em 2014, Goiás é o 16º colocado entre os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal.

A recuperação financeira abaixo da média é explicada, na maioria dos casos, pelo nível de endividamento da unidade federativa, o que não pode ser aplicado para Goiás, pois com 12,74% de comprometimento da receita com dívidas em 2019, era um dos estados menos endividados do Brasil.

Para o Brasil a previsão de avanço do PIB é de 2,1% neste ano, mas ainda dependendo da conjuntura internacional.

Economistas e tributaristas apontam erros na atual gestão econômica do estado, como responsáveis pelo resultado ruim, ao qual Goiás não estava mais habituado.


Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3