• Carlos Guglielmeli

Previsão de PIB abaixo do alcançado no período pré-crise expõe fragilidade da atual política econômi


Após quase duas décadas se posicionando entre os estados brasileiros com os maiores crescimentos do PIB (Produto Interno Bruto), Goiás deve fechar o ano de 2020 como o único da região Centro-Oeste com resultado abaixo do período pré-crise (2013 – 2014).

Esse é o resultado de um levantamento feito pela Tendências Consultoria Integrada, publicado nesta terça-feira (11) pelo ESTADÃO.

No acumulado da região, o Centro-Oeste deve alcançar um crescimento de 4% em relação ao PIB do produzido antes da atual crise. Um resultado que poderia ser melhor se Goiás não estivesse destoando de Mato Grosso, com crescimento de 12,6%, Mato Grosso do Sul com 8,8% e o Distrito Federal com 1,3%.

Com retração prevista de 0,6% em relação ao PIB alcançado em 2014, Goiás é o 16º colocado entre os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal.

A recuperação financeira abaixo da média é explicada, na maioria dos casos, pelo nível de endividamento da unidade federativa, o que não pode ser aplicado para Goiás, pois com 12,74% de comprometimento da receita com dívidas em 2019, era um dos estados menos endividados do Brasil.

Para o Brasil a previsão de avanço do PIB é de 2,1% neste ano, mas ainda dependendo da conjuntura internacional.

Economistas e tributaristas apontam erros na atual gestão econômica do estado, como responsáveis pelo resultado ruim, ao qual Goiás não estava mais habituado.


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png