• Carlos Guglielmeli

Governadores de 19 estados e do Distrito Federal assinam carta aberta onde criticam conduta do presi


Nesta segunda-feira (17), governadores de 19 estados e do Distrito Federal divulgaram uma carta aberta em que condenam a postura do presidente Jair Bolsonaro por se pronunciar sobre temas de responsabilidade estadual sem conversar com os gestores regionais.

Segundo os 20 dos 27 chefes dos executivos estaduais, a conduta do presidente Bolsonaro não ajuda o desenvolvimento da democracia no Brasil:

Recentes declarações do presidente da República Jair Bolsonaro confrontando governadores, ora envolvendo a necessidade de reforma tributária, sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos Estados, ora se antecipando a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus governadores, não contribuem para a evolução da democracia no Brasil”, disse um trecho do documento.

Nos dois fatos recentes citados, que motivaram a manifestação, Bolsonaro “jogou para a plateia”, praticando o populismo dos governos anteriores que tanto critica, segundo alguns desses gestores:

Em relação ao desafio feito para que governadores zerassem o ICMS cobrado sobre os combustíveis, acompanhando a suposta disposição do governo federal, é vedada por Lei qualquer renúncia de receita pública sem que ela seja precedida da demonstração de sua compensação orçamentária.

Já o segundo lance, foi a fala do presidente sobre a morte do miliciano Adriano Nóbrega, que ele chama de Capitão, na qual insinua erros ou desvios de conduta dos policiais baianos sob o comando do governador Rui Costa do PT.

Para o governador, a tal manifestação servia como cortina de fumaça para desvia a atenção do fato de que o criminoso teve a esposa e mais uma parente nomeada no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), quando ele era deputado estadual, sem que elas nunca tivessem registrado presença para trabalhar.

No fim, os governadores amenizaram e demonstraram, ou no mínimo tentaram demonstrar diplomacia, convidando o presidente para participar do próximo fórum organizado por eles, a ser realizado dia 14 de abril.

Veja a lista dos governadores que assinaram o manifesto:

  • Gladson Cameli (Progressistas-AC);

  • Renan Filho (MDB-AL);

  • Waldez Góes (PDT-AP);

  • Wilson Lima (PSC-AM);

  • Rui Costa (PT-BA);

  • Camilo Santana (PT-CE);

  • Ibaneis Rocha (MDB-DF);

  • Renato Casagrande (PSB-ES);

  • Flávio Dino (PCdoB-MA);

  • Reinaldo Azambuja (PSDB-MS);

  • Romeu Zema (Novo-MG);

  • Helder Barbalho (MDB-PA);

  • João Azevedo (Cidadania-PB)

  • Paulo Câmara (PSB-PE);

  • Wellington Dias (PT-PI);

  • Wilson Witzel (PSC-RJ);

  • Fátima Bezerra (PT-RN);

  • Eduardo Leite (PSDB-RS);

  • João Doria, (PSDB-SP);

  • Belivaldo Chagas (PSD-SE).


Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png