• Carlos Guglielmeli

Adiamento das eleições municipais é aprovado em definitivo na Câmara Federal



Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a Câmara dos Deputados Federais aprovou nesta quarta-feira (01) a PEC (Proposta de Emenda à Constituição ) que adia as eleições municipais para novembro.


Mesmo com a pressão de prefeitos para que o pleito fosse mantido em outubro, a aprovação teve ampla maioria pela mudança. Foram 402 votos favoráveis na primeira votação e 407 na segunda. Apenas 70 deputados votaram contra o projeto.


Agora a escolha de prefeitos e vereadores em todo o país acontecera em 15 de novembro, o primeiro turno, e 29 do mesmo mês o segundo turno, nas cidades que houver.


Com prefeitos em busca da reeleição e receosos com a falta de recursos para mostrar serviço no final do mandato, partidos do chamado Centrão tentaram barganhar a aprovação do projeto em troca de um repasse de R$ 5 bolhões da União para os municípios, mas a tentativa pegou muito mal e acabaram desistindo do recurso, por hora.


O texto também prevê que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pode adiar as eleições por um período maior, desde que o processo esteja finalizado ainda em 2020, em municípios com alto grau de disseminação da covid-19, se houver necessidade.


A partir do adiamento das disputas, excetuando os prazos já vencidos, outras datas do calendário eleitoral também serão alteradas. Os candidatos terão, por exemplo, mais tempo para inaugurar obras, participar de eventos públicos e aparecer em programas de TV e rádio.


O início oficial da campanha eleitoral fica adiada de 16 de agosto para 27 de setembro. No rádio e televisão, a campanha terá início em 9 de outubro.





Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png