• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro diz que não vai interferir no mercado ou no preço do arroz



O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (10) que não pretende interferir no mercado a fim de reduzir o preços do arroz, como exemplo dos produtos da cesta básica, mas afirmou que avalizou a decisão da Secretaria de Defesa do Consumidor (SDC) de abrir apuração para verificar se há irregularidades no valor que o alimento tem sido vendido nos supermercados.


"Eu não vou interferir no mercado, o que tem que valer é lei da oferta e da procura", disse Bolsonaro em sua Live semanal.


"Ninguém quer tabelar nada, interferir em nada, isso não existe. A gente sabe que, uma vez interferindo, tabelando, isso desaparece da prateleira e depois a mercadoria aparece no câmbio negro muito mais cara", completou o presidente.


Mesmo com essa decisão, Bolsonaro disse ter conversado com o ministro da Justiça, André Mendonça, antes de a SDC, que é vinculada ao ministério, abrir uma investigação sobre o preço do arroz vendido nos supermercados.


O presidente afirmou ter concordado com a iniciativa, ponderando que, ao final, pode até se chegar a uma resposta na qual o "errado" é o próprio governo.


Bolsonaro tentou jogar a culpa da alta dos preços de alimentos numa suposta elevação no consumo, provocada pelo pagamento do auxílio emergencial, porém economistas são unânimes em atribuir a diminuição da oferta de produtos ao aumento das exportações incentivadas pela escalada no valor do Dólar.


O presidente reiterou que o governo está tomando providências sobre o caso, e citou a decisão de importar 400 mil toneladas de arroz sem imposto de importação.



Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png