• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro dobra gastos com cartão corporativo e MPF quer detalhamento



Segundo um parecer do Ministério Público Federal de São Paulo, o Planalto deve prestar contas à sociedade e detalhar os gastos com cartões corporativos.


A manifestação atendeu uma provocação pelo Estadão que reivindicou o detalhamento dos gastos do presidente Jair Bolsonaro utilizando os Cartões de Crédito corporativos da presidência.


Conforme os dados do portal da transparência, Bolsonaro gastou R$ 3,76 milhões nestes cartões entre 1º de janeiro e 30 de abril. O dobro da média do mesmo período nos últimos 5 anos.


No parecer enviado à Justiça, o MP se manifestou pela "procedência parcial" do pedido do jornal, defendendo o levantamento do sigilo de todos os gastos dos cartões corporativos, indicando tipo, data, valor das transações e CNPJ/razão social dos fornecedores, desde que comprovadamente não comprometam a segurança da Presidência, de maneira individualizada.


"A Constituição nutriu um compromisso com a liberdade de informação, a publicização e a transparência das atividades estatais, de modo que o sigilo deve ser interpretado de forma restritiva, levando-se em conta a dimensão democrática do Estado brasileiro", disse o procurador da República Andrey Borges de Mendonça.

Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

1/3