• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro dobra gastos com cartão corporativo e MPF quer detalhamento



Segundo um parecer do Ministério Público Federal de São Paulo, o Planalto deve prestar contas à sociedade e detalhar os gastos com cartões corporativos.


A manifestação atendeu uma provocação pelo Estadão que reivindicou o detalhamento dos gastos do presidente Jair Bolsonaro utilizando os Cartões de Crédito corporativos da presidência.


Conforme os dados do portal da transparência, Bolsonaro gastou R$ 3,76 milhões nestes cartões entre 1º de janeiro e 30 de abril. O dobro da média do mesmo período nos últimos 5 anos.


No parecer enviado à Justiça, o MP se manifestou pela "procedência parcial" do pedido do jornal, defendendo o levantamento do sigilo de todos os gastos dos cartões corporativos, indicando tipo, data, valor das transações e CNPJ/razão social dos fornecedores, desde que comprovadamente não comprometam a segurança da Presidência, de maneira individualizada.


"A Constituição nutriu um compromisso com a liberdade de informação, a publicização e a transparência das atividades estatais, de modo que o sigilo deve ser interpretado de forma restritiva, levando-se em conta a dimensão democrática do Estado brasileiro", disse o procurador da República Andrey Borges de Mendonça.

Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png