• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro entra na mira da justiça por possível superfaturamento e aumento na produção de cloroquina


Foto: CML (Comando Militar do Leste - Exército Brasileiro)

A Colroquina hoje se encontra estocada em grande excesso, correndo risco de desperdício, e foi produzida com uma matéria prima cerca de 600% mais cara do que o preço de aquisição praticado no terceiro quadrimestre de 2019.

Recentemente a imprensa, inclusive o Blog do Carlos, revelou que 10 dias após assumir o comando interino da pasta, o ministro da saúde, General Eduardo Pazuello, foi alertado pela área técnica do órgão que sobrava Cloroquina e faltava medicamentos para as UTIs no Brasil. Mas, mesmo assim, o militar manteve uma expressiva compra de matéria prima para fabrica mais do remédio.

Já é comum a avaliação de que as implicações legais sobre esses excessos podem estar por trás do empenho da família Bolsonaro em aumentar a prescrição e o consequente consumo da Cloroquina, que mesmo sem efeito comprovado teve sua produção ampliada 84 vezes, produzindo um excedente que pode se tornar um considerável desperdício de dinheiro público.

Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png