• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro ignora o risco da saída de Moro e exonera diretor-geral da PF


Foto: reprodução de redes sociais

A exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, foi oficialmente publicada no Diário Oficial da União(DOU) desta sexta-feira (24).


De acordo com publicação, onde consta o nome do próprio Ministro da Justiça, Sergio Moro, a exoneração de Maurício Valeixo foi "a pedido", numa indicação à exigência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).


Apesar de haver especulações sobre a nomeação de Alexandre Ramagem, atual diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), como substituto de Valeixo, o documento não aponta um novo nome mas tradicionalmente, a escolha é feita pelo ministro da Justiça.


No início do ano Valeixo já havia cogitado com Moro, sua saída do cargo de diretor-geral da corporação, o delegado demonstrou exaustão no cargo por 'um 2019 tenso no comando da PF', porém o ministro foi surpreendido pelo comunicado de Bolsonaro de que mudanças na corporação ocorreriam nos próximos dias, quando ele ainda tentava tentava encontrar um nome de sua confiança para o posto.


A decisão do presidente de mudar o comando da PF ocorre logo após o Supremo Tribunal Federal (STF) acatar uma recomendação da Procuradoria Geral da República (PGR) e autorizar a abertura de inquérito para investigar quem organizou e financiou as manifestações em defesa da ditadura, como a de domingo (19), da qual Bolsonaro diante do QG do Exército, em Brasília.


O presidente teria ficado irritado depois que alguns de seus aliados entraram na mira da Polícia Federal.

Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3