• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro ignora o risco da saída de Moro e exonera diretor-geral da PF


Foto: reprodução de redes sociais

A exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, foi oficialmente publicada no Diário Oficial da União(DOU) desta sexta-feira (24).


De acordo com publicação, onde consta o nome do próprio Ministro da Justiça, Sergio Moro, a exoneração de Maurício Valeixo foi "a pedido", numa indicação à exigência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).


Apesar de haver especulações sobre a nomeação de Alexandre Ramagem, atual diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), como substituto de Valeixo, o documento não aponta um novo nome mas tradicionalmente, a escolha é feita pelo ministro da Justiça.


No início do ano Valeixo já havia cogitado com Moro, sua saída do cargo de diretor-geral da corporação, o delegado demonstrou exaustão no cargo por 'um 2019 tenso no comando da PF', porém o ministro foi surpreendido pelo comunicado de Bolsonaro de que mudanças na corporação ocorreriam nos próximos dias, quando ele ainda tentava tentava encontrar um nome de sua confiança para o posto.


A decisão do presidente de mudar o comando da PF ocorre logo após o Supremo Tribunal Federal (STF) acatar uma recomendação da Procuradoria Geral da República (PGR) e autorizar a abertura de inquérito para investigar quem organizou e financiou as manifestações em defesa da ditadura, como a de domingo (19), da qual Bolsonaro diante do QG do Exército, em Brasília.


O presidente teria ficado irritado depois que alguns de seus aliados entraram na mira da Polícia Federal.

Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png