• Carlos Guglielmeli

Bolsonaro volta à praticar o "toma lá dá cá" para se aproximar do "Centrão" e desarticular Maia



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou o caminho da sua articulação com os deputados federais, mais especificamente com os líderes dos partidos que fazem parte do "Centrão".


Segundo alguns deputados procurados, o presidente busca consolidar uma base, que até não conseguiu formar, para deixar a dependência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e até emplacar um adversário dele na próxima eleição para o comando da casa.


"Desde o ano passado, o governo vem sinalizando, depois da troca no FNDE, mudanças para atender aos partidos no segundo escalão. Não avançou. O governo começou a resolver agora o espaço para partidos do centro. É um movimento do governo no sentido de sinalizar que precisa ter base independentemente de Rodrigo Maia", disse um parlamentas ao O Globo na condição de anonimato.


O presidente considera Maia o principal adversário político no momento, contra ele seus seguidores mantiveram ataques no Top 10 das principais redes sociais na última segunda-feira (20).


Bolsonaro está oferecendo aos partidos do "Centrão" cargos na na Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), de chefia no Banco do Nordeste e no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o que gerou desconforto entre alguns ministros.


"O presidente está traindo todo discurso dele, que não teria 'toma lá, dá cá'. Ele está entregando parte significativa do governo, como Banco do Nordeste, Codevasf e FNDE para tentar criar uma base. Rompeu com tudo. Provou que é mais do mesmo. O PSL não participou e não participará das negociações", sinalizou a ex-líder do governo e atual líder do partido na Câmara, deputada Joice Hasselmann.




Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png