• Carlos Guglielmeli

Butantan entrega nova remessa da CoronaVac à Saúde

O Instituto Butantan entregou nesta quarta-feira (24) uma nova remessa de 2,2 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra Covid-19 do laboratório chinês Sinovac, desenvolvida e produzida em parceria com o Instituto Butantas, ao Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, A informação é do governo do Estado de São Paulo, ao qual o instituto é vinculado, em nota.


Foto: Reprodução

Com a entrega desta remessa, o total de doses da CoronaVac entregues ao PNI chegará a 27,8 milhões. O contrato do Butantan com o Ministério da Saúde prevê a entrega de 46 milhões de doses até o final de abril e de mais 54 milhões de doses até setembro, que o instituto paulista promete antecipar para agosto.


De acordo com a nota, o Butantan, que está envasando a CoronaVac no Brasil após receber o insumo farmacêutico ativo (IFA) do imunizante importado da China, aguarda para até o fim deste mês a chegada de matéria-prima suficiente para outras 6 milhões de doses da vacina, o que vai garantir o cumprimento da primeira parte do contrato, onde são previstos os 46 milhões de doses até abril.


Até o momento, de cada 10 vacinas aplicadas no Brasil contra o coronavírus, 9 são CoronaVac


Butantan e ministério também mantêm tratativas para um lote adicional de 30 milhões de doses da CoronaVac, cujos termos de contrato estão sendo negociados entre ambos.


Na terça-feira, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que está envasando no Brasil a vacina contra Covid-19 da AstraZeneca com a Universidade de Oxford, reduziu em mais de 10 milhões de doses o número de vacinas a serem entregues ao Ministério da Saúde no mês de abril, passando de uma previsão inicial de 30 milhões para 18,8 milhões.


Até o momento, a Fiocruz envasou 500 mil doses da vacina da AstraZeneca e importou outras 4 milhões de doses do imunizante prontas da Índia. O Brasil também recebeu no fim de semana 1 milhão de doses da vacina da Covax Facility, iniciativa liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para dar acesso igualitário aos imunizantes contra Covid-19.


No momento, o Brasil tem apenas a CoronaVac e a vacina da AstraZeneca, ambas aplicadas em duas doses, na campanha de vacinação contra Covid-19. Segundo dados da Fiocruz, 8% do público-alvo para vacinação no Brasil recebeu a primeira dose, e 2,71% já foi imunizado com a segunda.


Na terça, o Ministério da Saúde pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização para importação de 20 milhões de doses da Covaxin, vacina contra Covid-19 do laboratório indiano Bharat Biotech, que ainda não tem autorização para uso emergencial no Brasil.

Publicidade
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom

press to zoom

press to zoom
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan
Institucional do Novo Gama Mar2021 Retan

press to zoom
1/3