• Carlos Guglielmeli

Cooperação entre DF e Valparaíso garante nova estrutura para atender possíveis casos de dengue


Fotos de Linice Moreira


A partir desta semana, as pessoas com sintomas da Dengue vão contar com uma maior estrutura de atendimento em Valparaíso de Goiás.


Em parceria com o governo do Distrito Federal, a prefeitura de Valparaíso de Goiás, instalou no estacionamento do CAIS uma unidade de atendimento móvel para receber pacientes com suspeita de Dengue.


A tenda vai contar com uma equipe composta por médico, enfermeiros e técnicos de enfermagem dedicados exclusivamente ao diagnóstico e tratamento dos pacientes com sintomas da doença transmitida pelo mosquito Aedis Egypt.


Na segunda-feira (2) o prefeito Pábio Mossoró (MDB) já havia anunciado em sua rede social, que ao lado dos secretários Plácido Cunha, de governo, e Alyane Ribeiro, de saúde, esteve na Secretaria de Estado der Saúde do Distrito Federal em uma reunião técnica a respeito do combate à Dengue e tratando dessa parceria.


“Somos um município situado ao lado do Distrito Federal e por isso estamos buscando uma parceria efetiva para o combate e prevenção a esta doença perigosa”, publicou Pábio à ocasião.

Só em 2020 já foram diagnosticados 704 casos de dengue em Valparaíso, contados até sexta-feira (28). Desses, cerca de 300 pacientes declararam endereços residenciais fora do município, por isso se tornou urgente ampliar a estrutura que inicialmente estava projetada para os atendimentos locais apenas.


Segundo a secretária de saúde, Alyane Ribeiro, a iniciativa busca justamente desafogar o atendimento nas unidades de saúde fixas, como UPA, Hospital Municipal e o próprio CAIS, diminuindo o tempo de espera pelo atendimento e pelo resultado dos exames.


Alyane também garantiu que isso não muda a prevenção contra a doença, feita com o combate ao mosquito transmissor Aedes Aegypti.


“O trabalho de combate ao mosquito da Aedes Aegypti está intensificado, os agentes de endemias estão nas ruas, visitando casa por casa em um ritmo acelerado, o ‘fumace’ está passando e nós contamos com a colaboração das pessoas para evitar a proliferação desse mosquito”, disse Alyane que completou:


"Qualquer tampinha de garrafa virada para cima com um pingo d'água dentro pode se transformar em foco do mosquito transmissor, por isso esse combate tem que ser da população também".

(Clique nas imagens para ampliá-las)



Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png