• Carlos Guglielmeli

Líder do Governo na Câmara e ministro da economia desmentem Bolsonaro e confirmam versão de Maia


Foto: Agência Brasil

O líder do governo Bolsonaro na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP), e o Ministro da Economia, Paulo Guedes, conformaram nesta sexta-feira (18), que partiu do governo a decisão de deixara caducar a MP que concedia o 13º do Bolsa Família este ano, ratificando a afirmação de Rodrigo Maia (DEM), que chamou o presidente de mentiroso.


Em sua Live semanal, transmitida na quinta-feira (17), o presidente Jair Bolsonaro disse que os beneficiários do Bolsa Família não teriam o 13º do programa este ano porque o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, tinha deixado caducar a MP que permitia o pagamento.


Logo cedo Maia tratou de afirmar que 'não por isso', e que poderia por a autorização do pagamento no meio da MP que entraria na pauta do dia, estendendo o Auxílio Emergencial.


Diante do risco, o líder da bancada governista, deputado Ricardo Barros, usou o microfone no início da sessão para dizer que o governo não queria votar o texto, pois já tinha seu compromisso no ano anterior e que em 2020 não tinha recursos para pagar o 13º do Bolsa Família.


Mais cedo, em uma entrevista na qual apresentava um balanço do ano, o ministro Paulo Guedes ratificou que era o governo quem não tinha condições de pagar o benefício:


"Conforme nós tínhamos prometido na campanha , o 13º do Bolsa Família: Nós Vamos dar o 13º do Bolsa Família? Vamos. Só que é o seguinte, quando entrou o segundo ano, que é agora, quando a pandemia bateu e levou essa desorganização fiscal de curto prazo, foi chegando o fim do ano, nós fomos observando o seguinte: Pela Lei de Responsabilidade fiscal, se der um 13º por 2 anos seguidos: Nós demos o primeiro ano, se você der o segundo ano seguido o 13º, você está cometendo o crime de Responsabilidade Fiscal, porque não houve provisão de recursos", declarou Guedes.


Após a confirmação dos dois aliados, Bolsonaro silenciou por completo, pois corre risco de ver seu indicado a presidência da Câmara ser derrotado pela indicação de Rodrigo Maia.

Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png