• Carlos Guglielmeli

MDB e DEM deixam o 'Centrão' após aproximação com Bolsonaro


Foto: Adriano Machado / Reuters - clicada em 09/Julho/2020

O maior bloco de parlamentares da Câmara Federal, o chamado 'Centrão', sofreu forte baixa com o desligamento do MDB e DEM.


As duas legendas anunciaram o desembarque do grupo de partidos, liderado por Arthur Lira (PP-AL), que é candidato à sucessão da presidência da Casa, nesta segunda-feira (27). Com isso a bancada cai de 221 para 158 deputados.


O movimento ocorre justamente após aproximação do Centrão com o presidente Jair Bolsonaro em troca de cargos.


Em sua conta do Twitter, o presidente do MDB e líder da bancada na Câmara, Baleia Rossi (SP), afirmou que a posição de independência do partido foi aprovada na convenção que o elegeu para comandar a sigla em 2019.


"Apoiamos o que acreditamos ser bom para o país. A presença do MDB no bloco majoritário da Câmara se devia às cadeiras nas comissões. Manteremos diálogo com todos. Somos #PontoDeEquilíbrio", disse o emedebista.


Já o líder do DEM, Efraim Filho, disse à Reuters que o motivo para a saída do bloco foi uma questão regimental:


"Posicionamento de bancada quanto a requerimentos, urgências, destaques, reposicionar a autonomia da bancada", exemplificou o líder do DEM.


Os dois líderes tentaram desvinculara decisão da sucessão da Câmara, prevista para janeiro próximo.


No Twitter, Lira que busca o comando da Casa, tentou minimizar a decisão dos partidos dizendo que o bloco era provisório:


"O bloco foi formado para votar o Orçamento e é natural que se desfaça. Ele deveria ter sido desfeito em março, o que não aconteceu por conta da pandemia", afirmou ele.




Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png