• Carlos Guglielmeli

Operação da PF para investigar Fake News chegou nos Bolsonaros um dia antes da demissão de Valeixo



Uma equipe da Polícia Federal, que investiga as Fake News contra o STF (Supremo Tribunal Federal), contra o Congresso Nacional e personalidades públicas. identificou na quinta-feira (23) o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) como articulador das publicações.


O inquérito comandado pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes, pode ter sido o combustível para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenha exonerado o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, a qualquer custo, incluindo o desgaste sofrido com a saída de Sérgio Moro do seu governo.


A operação levada à público pelo jornalista Leandro Colon, Diretor Sucursal da Folha em Brasília, também chegou perto de outro filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (Republicanos). Ao menos uma das paginas responsáveis pela distribuição das Fake News e ataques às personalidades foi criada e era operada em um computador de seu gabinete na Câmara Federal.


Além desses, a PF iniciou a investigação sobre a organização e o financiamento dos atos inconstitucionais que pregam a ruptura da democracia, com a intervenção militar, o fechamento do Congresso e do STF, e segundo o Site O Antagonista.


Essas circunstâncias apontadas para o presidente Jair Bolsonaro, se comprovadas podem ter desfechos graves, o que segundo comentaristas políticos, "deve ter justificado a demissão do diretor-geral da PF, sob os riscos de tudo o que acabou acontecendo de fato.

Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png