• Carlos Guglielmeli

Sem saída, Ministro da Educação, Abrahan Weintraub deixa o governo Bolsonaro



A demissão do ministro da educação, Abrahan Weintraub, o mais alinhado ideologicamente com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), foi anunciada em um vídeo no qual ambos aparecem lado a lado nesta quinta-feira (18).


Durante a sua gestão de apenas 14 meses, Weintraub acumulou polêmicas por declarações que feriram a comunidade judaica, povos indígenas e chineses.


No entanto, a grande polêmica envolvendo o agora ex-ministro surgiu após a divulgação do vídeo de uma reunião realizada no Palácio no Planalto em 22 de abril. No encontro, o então ministro defendeu a prisão de representantes do Supremo Tribunal Federal, chamando-os de "vagabundos". Desde então foi crescente a pressão por sua demissão.


Mais recentemente, no dia 14, Abrahan foi multado em R$ 2 mil pelo governo do Distrito Federal por participar de uma manifestação no dia 14 recente sem usar máscara de proteção facial, o que é obrigatório na capital nacional para prevenção contra o novo coronavírus.


Weintraube evitou dar justificativas a cerca da sua demissão, mas revelou o novo cargo para o qual foi indicado:


"Nesse momento não quero discutir os motivos da minha saída, não cabe. O importante é dizer que eu recebi o convite para ser diretor de um banco. Eu já fui diretor de um banco no passado, volto no mesmo cargo, porém no Banco Mundial", disse ele.




Publicidade

1/2
Mortos X Curados.png
Precisa explicar?
Curta nossa Fampage.png