Eleições 2018 – Pequenez do DEM em Goiás pode frustrar candidatura de Caiado

20/07/2017

 

Não é surpresa e nem ofensa concluir que o DEM, partido do senador Ronaldo Caiado, não tem capilaridade para lhe garantir, sozinho, ao menos competitividade para disputar o governo estadual de Goiás.

 

Essa avaliação diminui a candidatura do democrata como altamente dependente de uma aliança com o PMDB de Daniel e Maguito Vilela e Iris Rezende.

 

Por outro lado e com situação inversa, o virtual candidato da situação, vice governador José Eliton estará contando com o fortíssimo Marconi Perillo que vai concorrer ao senado e entrará de cabeça na campanha do correligionário.

 

Com o apoio de quase duas centenas de prefeitos, inclusive alguns do DEM, Marconi terá palanque para levar Eliton aos quatro cantos do estado.

 

Quando Caiado estiver em Goiânia, quem estaria armando seu palanque em Porangatu, no estremo norte do estado, ou em Jataí no extremo sul?

 

Ninguém, as duas cidades fazem parte de microrregiões opostas, com predominância de gestões peessedebistas e, em menor quantidade, peemedebistas.

Para dificultar ainda mais a vida de Caiado, o PMDB tem não somente um nome, como dois, para pôr na disputa, Daniel e Maguito Vilela, o primeiro inclusive é presidente estadual do partido.

 

A favor do ruralista somente o prefeito da capital Goiânia, Iris Rezende, que não tem mais tanto poder na gestão partidária e a poucos dias, durante um encontro de prefeitos do PMDB, se viu obrigado a declarar que vai apoiar qualquer decisão da legenda.

 

O desejo de renovação da sociedade coloca ainda mais pressão pela candidatura de Daniel Vilela que pode se apagar na aba de Caiado, e na disputa, mesmo perdendo, ganha força e visibilidade eleitoral.

 

Mesmo que surfando na onda do “ferrenho opositor aos governos petistas”, portanto com alta popularidade, na hora da campanha é isso que conta, a capilaridade, que o raquitismo do DEM estadual não tem, em partes por culpa do próprio Caiado que é conhecido por não valorizar aliados.

 

Essa é a dura realidade do senador em todas as direções cardeais de Goiás e ele sabe disso, não chegou a senador atoa, por isso sem uma aliança de peso até sua disposição para a candidatura pode mudar, o que, como um efeito em cascata, diminui o ânimo de seus apoiadores que precisam manter sempre um “plano B”.

 

A espiral “caiadista” no momento é descendente e se aprofunda a cada dia que dos outros lados os concorrentes se fortalecem com maior velocidade.

 

Vocabulário: Capilaridade - Condição ou característica do que tende a ascender, crescer.

Compartilhar
Twittar
Please reload

Publicidade

1/5
Últimas notícias

Ferrari dá prazo para Vettel mostrar resultado e decidir sob...

15/12/2019

1/20
Please reload

Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Siga
  • Facebook do Jornal Opção do Entorno
  • Twitter do Jornal Opção do Entorno
  • Instagram do Jornal Opção do Entorno