Áudios que comprometem delação da JBS foram entregues à PGR por engano

05/09/2017

 

Aparentemente Joesley Batista e Ricardo Saud, executivo da gigante alimentícia, não sabiam que estavam gravando a si próprios e acabaram produzindo mais de 4 horas de áudios expondo que a delação de JBS foi arquitetada por eles e pelo ex-procurador  Marcello Miller, braço direito de Janot à época, para manipular a PGR (Procuradoria Geral da República) e produzir os efeitos que desejavam.

 

Essas gravações que devem comprometer o acordo de delação da JBS foram entregues à PGR em meio a um material referente a investigação sobre o senador Ciro Nogueira (PP-PI).

 

Na gravação o empresário e o executivo comprometem ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) como agentes corruptíveis, relatam algumas manipulações em conversas gravadas, demonstram poder de corromper agentes públicos de todas as esferas, comentam que entregaram para a PGR somente aquilo que atraia o procurador e o que lhes interessava sob a orientação do braço direito de Rodrigo Janot, Marcello Miller.

 

Como consequência das revelações e sem outra alternativa, nesta segunda-feira, 04/08, o procurador-geral da república, Rodrigo Janot, anunciou ter determinado uma investigação para apurar indícios de omissão de informações do empresário Joesley Batista e de outros dois executivos da JBS, prática que atenta contra o acordo de delação premiada.

Compartilhar
Twittar
Please reload

Publicidade

1/5
Últimas notícias

Deputada Lêda Borges "denuncia" a destruição dos p...

6/12/2019

1/20
Please reload

Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Siga
  • Facebook do Jornal Opção do Entorno
  • Twitter do Jornal Opção do Entorno
  • Instagram do Jornal Opção do Entorno