Nomeação do goiano Murilo Resende como coordenador do Enem é cancelada

 

Em nome do governo Bolsonaro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni tornou sem efeito a nomeação do goiano Murilo Resende para o cargo de Diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

 

A nomeação de Resende na função que, entre outras, coordenaria o Enem já havia sido publicada no diário oficial em 16 de janeiro, mas sem justificativa foi cancelada no dia seguinte.

 

Defensor controverso do programa Escola Sem Partido, Murilo acumula posicionamentos “delicados” para o cargo que vieram à tona após sua indicação.

 

O doutor em economia pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) chegou a chamar os professores brasileiros de “manipuladores que não querem estudar de verdade” quando participava de uma audiência pública do MPF-GO (Ministério Público Federal de Goiás) em 2016.

 

Murilo Resende fez parte do MBL (Movimento Brasil Livre), um dos principais grupos organizados que lutaram pelo impeachment da ex-presidente Dilma Russeff (PT).

 

Segundo Alan Santos, um dos líderes do MBL, Murilo foi expulso do grupo, “Um maluco completo. Foi do MBL de Goiás. Expulso, vivia xingando a gente por lutarmos pelo impeachment. Lunático conspiratório. Fora da realidade”, definiu Santos em uma postagem no Twitter.

 

Hoje, apesar do engenheiro Marcus Vinícius Rodrigues estar cotado para o cargo, há rumores de que a demora para essa nomeação e inclusive a do cargo de Presidente do Inep indica dificuldades do governo Bolsonaro para preencher as vagas.

Compartilhar
Twittar
Please reload

Publicidade

1/5
Últimas notícias

Após Voto de Toffoli para restringir repasse de informações...

21/11/2019

1/20
Please reload

Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Siga
  • Facebook do Jornal Opção do Entorno
  • Twitter do Jornal Opção do Entorno
  • Instagram do Jornal Opção do Entorno