Leda Borges e especialistas desmentem discurso de Caiado sobre pagar salários atrasados com bens de Marconi Perillo

O governador Ronaldo Caiado (DEM) se enrolou mais uma vez em suas falas.

 

Depois de, entre outras coisas, ter pedido aos prefeitos dos municípios goianos que abrissem “contas” nos comércios locais para que os servidores estaduais comprassem fiado enquanto seus salários estão atrasados, nesta quinta-feira (31) Caiado disse em entrevista que “como a Justiça está arrestando os bens daqueles que espoliaram o Estado, eu tenho esperança muito grande que seja repassado ao Tesouro o mais rápido possível para nós pagarmos aos funcionários”

 

O democrata estava se referindo à notícia de que a justiça havia bloqueado R$ 22 milhões nas cintas de seu rival político, Marconi Perillo (PSDB) e mais quatro outras pessoas.

 

Tenho acompanhado os discursos de Caiado nos últimos dias e percebido algumas falácias. (...) Caiado não pode, de modo algum, usar estes bens para pagar os servidores públicos conforme afirmou. Tal discurso serve apenas para transferir a responsabilidade de seu governo para outros”, analisou a deputada Leda Borges (PSDB) em uma nota que enviou à imprensa.

 

Ao Site Mais Goiás, o advogado e professor de direito da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Roberto Rodrigues que o bloqueio feito pela Justiça Federal nas contas do ex-governador e outros, no âmbito da Operação Cash Delivery, é uma medita cautelar, preventiva, para possíveis reparações em caso de condenação e não tem nenhuma relação com o assunto levantado por Caiado.

 

Ainda segundo a deputada Leda Borges, “não há ação judicial contra o ex-governador Marconi Perillo. O que ocorre é uma investigação contra ele. Assim, a apreensão dos bens realizada ontem (30) é uma medida cautelar utilizada para resguardar EVENTUAL condenação”.

 

Deputados da base e aliados políticos do próprio governador já reclamam nos bastidores das suas “falas desprovidas de conhecimento de causa” e de sua insistência em se manter em campanha eleitoral quando deveria estar governando o estado.

 

Já tive a oportunidade de dizer e percebi que ele [Caiado] não gostou, outras pessoas próximas estão falando, mas ele não escuta. Ele precisa pagar os servidores, ele precisa parar de olhar para o retrovisor e fazer o estado andar para frente”, disse um aliado valparaisense do governador que não quis se identificar e completou, “essa primeira impressão que está ficando é muito ruim”.

 

Leia a Nota completa emitida pela deputada valparaisense Leda Borges:

 

"Tenho acompanhado os discursos de Caiado nos últimos dias e percebido algumas falácias. Em primeiro lugar, temos de deixar claro que não há ação judicial contra o ex-governador Marconi Perillo. O que ocorre é uma investigação contra ele. Assim, a apreensão dos bens realizada ontem (30) é uma medida cautelar utilizada para resguardar EVENTUAL condenação.

Caiado não pode, de modo algum, usar estes bens para pagar os servidores públicos conforme afirmou. Tal discurso serve apenas para transferir a responsabilidade de seu governo para outros, além de tentar deslegitimar tudo que Marconi fez pelo estado.

Ainda na tentativa de se popularizar, o governador afirma que irá abrir mão de seu salário para que o funcionalismo público seja pago. No entanto, o governador parece desconhecer o fato de que essa renúncia é proibida por lei. Ele pode apenas doar o valor para alguma entidade, mas não renunciar. É preciso deixar o populismo e a publicidade de lado e trabalhar constantemente para garantir o pagamento que é de direito dos servidores. "

Lêda Borges 
Deputada estadual PSDB

Compartilhar
Twittar
Please reload

Publicidade

1/5
Últimas notícias

Lêda Borges cobra obras de manutenção no restaurante cidadão...

5/12/2019

1/20
Please reload

Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Siga
  • Facebook do Jornal Opção do Entorno
  • Twitter do Jornal Opção do Entorno
  • Instagram do Jornal Opção do Entorno