Mais uma candidata mineira acusa Ministro do Turismo de fraudar repasses do fundo eleitoral

 

Adriana Borges, candidata à deputada federal pelo PSL em 2018, disse em depoimento ao Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais que um assessor do Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), lhe propôs a devolução de R$ 90 mil dos R$ 100 mil que a legenda passaria do fundo eleitoral para sua campanha.

 

Ela é a terceira candidata do PSL mineiro a denunciar o ministro ou pessoas ligadas a ele e a quinta identificada no suposto esquema de desvio de dinheiro público eleitoral.

 

A candidata detalhou que no início do pleito, enquanto o agora ministro Álvaro Antônio já tinha seu material impresso circulando nas ruas, sua campanha ainda não tinha recebido nada. Foi quando reclamou do fato ao coordenador de campanha Robertinho Soares.

 

No dia 25 de agosto, segundo a depoente, Robertinho a chamou para uma reunião em um hotel e fez a proposta, afirmando não ter recursos para todos os candidatos.

 

Adriana, que teve 11.830 votos, disse que ao se filiar no partido do presidente Jair Bolsonaro soube que 30% do fundo eleitoral do partido seria distribuído entre as candidatas mulheres, mas afirmou ter recebido apenas R$ 4 mil após não aceitar participar do esquema de devolução do recurso.

 

O ministro Marcelo Álvaro Antônio nega as acusações de Adriana Borges e que pretende processá-la.

Compartilhar
Twittar
Please reload

Publicidade

1/5
Últimas notícias

Setor de Serviços tem alta em setembro e elimina perdas de 2...

12/11/2019

1/20
Please reload

Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Siga
  • Facebook do Jornal Opção do Entorno
  • Twitter do Jornal Opção do Entorno
  • Instagram do Jornal Opção do Entorno