Ministro do STF critica vídeo publicado por Bolsonaro, "O atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura"

29/10/2019

O decano do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Celso de Mello, criticou em carta o vídeo publicado na rede social do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em que a Suprema Corte é retratada como inimiga do governo.

 

Na montagem, supostamente feita militância digital bolsonarista, o presidente é um Leão cercado por hienas, cada uma delas representando instituições como o STF, partidos políticos como o PT, o PCdoB e o próprio PSL, órgãos de imprensa, sindicatos, a ONU, os isentões, apelido dado à parcela da população que elogia o governo quando ele acerta, mas não se abstêm de critica-lo quando ele erra.

 

O atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura que um chefe de Estado deve demonstrar no exercício de suas altas funções, pois o vídeo que equipara, ofensivamente, o Supremo Tribunal Federal a uma 'hiena' culmina, de modo absurdo e grosseiro, por falsamente identificar a Suprema Corte como um de seus opositores” disse em nota Celso de Mello.

 

No enredo do vídeo publicado pelo Presidente da República e posteriormente deletado em consequência da má repercussão, o “Leão Bolsonaro” pede ajuda a um outro da sua espécie, o “Leão Patriota Conservador” (seus apoiadores), que justos afugentam os inimigos. Após essa cena, uma mensagem escrita de convocação: “Vamos apoiar o nosso presidente até o fim. E não atacá-lo. Já tem a oposição para fazer isso!”

 

Celso de Mello continua sua crítica alertando que o presidente não é um monarca com o poder de desprezar as instituições e entidades garantidoras da democracia:

 

É imperioso que o senhor Presidente da República - que não é um 'monarca presidencial', como se o nosso País absurdamente fosse uma selva na qual o Leão imperasse com poderes absolutos e ilimitados - saiba que, em uma sociedade civilizada e de perfil democrático, jamais haverá cidadãos livres sem um Poder Judiciário independente, como o é a magistratura do Brasil” redigiu o ministro.

 

Mais essa publicação foi atribuída ao filho 03 do presidente Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, apelidado nos corredores do poder de “desagregador Geral da União”.

 

Celso de Mello, desde quando o presidente Bolsonaro assumiu o Palácio do Planalto e sua militância começou a atacar o STF, se posicionou na defesa da instituição e da liberdade de expressão.

 

Esse comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de 'gravitas' e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”, finalizou o decano.

 

Assista ao vídeo publicado pelo presidente Bolsonaro e deletado em seguida, diante da má repercussão:

 

 

Compartilhar
Twittar
Please reload

Publicidade

1/5
Últimas notícias

Autores de assassinato por ponto de tráfico de drogas são pr...

14/11/2019

1/20
Please reload

Matéria_do_Brasil_dividido_em_3.png
Siga
  • Facebook do Jornal Opção do Entorno
  • Twitter do Jornal Opção do Entorno
  • Instagram do Jornal Opção do Entorno